29 novembro 2021 7:02 pm
24.9 C
Rio Branco
29 novembro 2021 7:02 pm

Pronto-socorro em Rio Branco não tem mais vagas de UTI para pacientes com Covid-19

G1 AC
-------- Continua depois da Publicidade--------

O último leito vago da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinada para pacientes com Covid-19 no Pronto-Socorro de Rio Branco foi ocupado neste sábado (25). A direção do PS aguarda a transferência do paciente da Fundação Hospitalar (Fundhacre) até o final do dia.

Todos os preparativos para a transferência estão sendo finalizados pela equipe da Central de Regulação da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). O pronto-socorro disse que ainda não sabe o sexo, idade e nem identificação do paciente.

O G1 tentou contato com a Sesacre, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

“Ainda não chegou o paciente. A Central de Regulação é que faz essa movimentação e não vou ter boletim dele até o final da tarde. Quando chega, as equipes da UTI vão preparar o paciente, tem os procedimentos iniciais de internação e só depois a gente consegue alguma informação complementar”, explicou o diretor do Pronto-Socorro de Rio de Branco, Areski Penache.

O boletim da Sesacre de sexta apontou que o Acre tinha 234 pacientes com Covid-19 no estado. Destes, 88 estão de alta e estavam hospitalizados. O número de mortes também subiu para 11 na sexta na capital acreana.

Além do pronto-socorro, os pacientes diagnosticados com a doença também são tratados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Segundo Distrito da capital acreana. Porém, a unidade não dispõe de UTI e os pacientes graves são transferidos para o PS, que só dispõe de dez leitos para atender a demanda.

Mais 40 leitos devem ser disponibilizados para a população no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), onde é montado o primeiro hospital de campanha do Acre. Em entrevista à Rede Amazônica na sexta, a Sesacre informou que os novos leitos devem estar prontos na próxima semana.

Recurso da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou, no decorrer da semana, a habilitação de mais de mil leitos de UTI já em funcionamento em estados do país. No Acre, o governo federal habilitou os dez leitos que atendem os pacientes com Covid-19 no pronto-socorro.

A Sesacre destacou que o recurso de mais de R$ 1,4 milhão enviado pelo governo federal é para o custeio e manutenção dos leitos já existentes no PS.

Treinamento

Também na sexta, médicos do Amazonas chegaram ao estado acreano para treinar equipes de saúde no combate ao novo coroanavírus.

“O negócio aqui vai aumentar. Não estou fazendo alarde, mas é só pegar o número de casos o aumento entre um dia para o outro”, disse o governador Gladson Cameli.

As equipes vão fazer demonstrações dos atendimentos e técnicas que estão sendo feitos em estados vizinhos como Amazonas, Rondônia, Roraima e Pará.

Junto com a capacitação, o secretário de Saúde Alysson Bestene disse que conseguiu ainda mais de 100 mil máscaras, 5 mil aventais, mais de dois mil protetores faciais e mil óculos para os profissionais que estão na linha de frente do combate.

Projeções

Um estudo da Universidade Federal do Acre (Ufac) apontou algumas alternativas para tentar frear as consequências da doença no nosso estado. As projeções apontam na segunda quinzena de maio e seguir até início de setembro, quando deve ser registrado o fim da primeira onda da doença.

Para Rio Branco, a pesquisa estima que seriam necessários mais 60 leitos de UTI voltados para Covid, fora os 10 que o pronto-socorro já disponibiliza. E que as mortes pela doença podem chegar a quase 290.

“Se o distanciamento social se elevar para 50% nesse período as mortes estimadas serão de 205 (40% a menos) pessoas e necessidade de leitos adicionais de UTI cai de 60 para 44. Se o distanciamento social cair para 30% nesse período o número de mortes estimadas aumenta de 205 para 336 (49%) e o número de leitos de UTI de 60 para 76 (26%)”, destaca.

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS