2 dezembro 2021 12:49 am
25.3 C
Rio Branco
2 dezembro 2021 12:49 am

Coronavírus: governo estuda antecipar retomada das aulas no DF

Correio Braziliense
-------- Continua depois da Publicidade--------

OGoverno do Distrito Federal (GDF) se prepara para a reabertura das escolas da capital, que estão com atividades interrompidas devido à pandemia do novo coronavírus. Em entrevista à CNN Brasil, o chefe do Executivo local, Ibaneis Rocha (MDB), informou que, nesta quarta-feira (22/4), pediu para que a Secretaria de Educação apresente um plano de reabertura em até 10 dias.

De acordo com o governo, o intuito é que as aulas da rede pública de ensino retornem antes do previsto, a partir de maio, começando pelo ensino médio. Decreto em vigor, assinado pelo próprio governador, determina que as instituições de ensino da capital permaneçam fechadas até 31 de maio. Entretanto, o governo considera que a curva de casos do coronavírus na capital está estável e, por isso, a Secretaria de Educação estuda antecipar a medida.
“Vamos ter que comprar 2 milhões de máscaras para alunos e professores, fazer campanhas educativas, higienização das escolas e ter tapetes de desinfecção”, frisou o governador. De acordo com o emedebista, a escolha por esse grupo de estudantes se deve porque a conscientização sobre a importância das medidas de prevenção é mais fácil.
O governador ainda informou que professores com idade avançada ou com comorbidades não voltariam a lecionar e seriam realocados.
Além disso, Ibaneis ressaltou que também conversa com a rede privada de ensino, para que a retomada aconteça em conjunto. Outra medida para que as portas das escolas sejam reabertas, é a de implementar medidores de temperatura na entrada das unidades.

Sobre a reabertura das escolas cívico-militares, pauta do encontro entre Ibaneis o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), na segunda-feira (20/4), o governador explicou que apenas pediu para que a Secretaria de Educação estudasse a medida. “Minha equipe técnica indiciou que as escolas devem ser abertas pelo ensino médio, inclusive as cívico-militares”, frisou. Segundo o emedebista, ainda não há decisões tomadas nesse sentido.
A rede pública de ensino do DF tem 460 mil estudantes, distribuídos em 14 regionais de ensino e 683 unidades escolares.

Comércio

O governador também falou sobre a reabertura do comércio, prevista para acontecer em 3 de maio. De acordo com ele, a curva da Covid-19 no Distrito Federal está estável, mesmo com o aumento da testagem. Segundo o chefe do Palácio do Buriti, o grande movimento na cidade é de parlamentares e congressistas, que estão com atividades paralisadas há 60 dias. “Não estamos mais com a importação do vírus”, disse.
Segundo o emedebista, a maior parte da população, se não toda, terá o vírus e o importante é ter segurança na rede de saúde, para dar conta da demanda. Ibaneis ainda informou que deverá se encontrar com o ministro da Saúde, Nelson Teich, ainda nesta segunda-feira para tratar da questão do coronavírus no DF. De acordo com ele, a pasta federal cedeu 40 mil testes da doença para a capital.
Ibaneis reclamou da gestão do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. De acordo com o emedebista, ele não trabalhava articulado com os governadores e com os secretários de Saúde. “O presidente perdeu muito tempo com o Mandetta. O ministro não tinha sintonia com os secretários e governadores de Estado”, reclamou.

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS