Rio Branco,

Polícia Civil prende taxista acusado de envolvimento em latrocínio

O quinto elemento

Por Por Alexandre Lima, do o altoacre

Encontra-se detido em uma das celas da delegacia do município de Brasiléia, o taxista Alexandre Amorim Oliveira (31), acusado de ter participado no crime ocorrido na noite do dia 14 passado, onde resultou na morte de Raimundo Nonato Pessoa, de 55 anos de idade, após ter tido sua propriedade localizada no ramal do km 59 da BR 317, Estrada do Pacífico, invadida por quatro acusados.

Publicidade

Se acreditava inicialmente, que somente quatro pessoas (entre eles um menor de 15 anos), estariam envolvidas no latrocínio, que foram identificados e detidos menos de 24 horas após o ocorrido. Um chegou a ser baleado após tentar enfrentar Policiais militares, armado com a escopeta usada para matar Raimundo.

Taxista Alexandre Amorim foi detido nesta segunda, dia 22 – Foto: Arquivo pessoal

Na ação ocorrida na casa, após o quarteto assassinar o proprietário, foram levadas duas caminhonetes, cerca de R$ 12 mil reais e um rifle calibre 22.

Mesmo com a prisão dos maiores e apreensão do menor, as investigações continuaram, uma vez que imagens obtidas, mostravam que existia uma quinta pessoa. Somente após conversa com o quarteto, foi possível identificar e deter o taxista.

Delegado Rêmulo Diniz anunciou a detenção de um taxista acusado de envolvimento em caso ocorrido no dia 14 de julho- Foto: Alexandre Lima

Alexandre foi detido e levado para a delegacia, onde foi ouvido e está sob custódia. O delegado que está à frente do caso, Rômulo Diniz, contou à reportagem que o acusado participou no crime, ajudando na logística conduzindo os que estiveram na casa da vítima, para depois ir até o local no lado boliviano, para resgatar após entregarem as caminhonetes ao receptador.

“Ele tinha todo o conhecimento dos fatos, uma vez que os demais portavam armas de grosso calibre, como escopeta calibre 12 e o rifle calibre 22 que foi subtraído do local, além dos outros envolvidos que confirmaram essa participação”, disse o delegado Rômulo Diniz.

Acusados que estiveram na casa da vítima e cometeram o latrocínio foram presos.

O delegado também acrescentou que Alexandre teria participação em outros crimes, exercendo a função de levar e trazer pessoas para a prática de ilícitos na fronteira. Em relação as caminhonetes roubadas, as mesmas foram localizadas e estão trabalhando com as autoridades do país vizinho para que tão logo, sejam trazidas ao lado brasileiro.

O que os familiares falaram:

Em conversa com familiares do acusado, os mesmos apenas comentaram que estão trabalhando para tentar provar a inocência de Alexandre, e acreditam que está havendo um mal-entendido e esperam que se faça justiça o mais rápido possível.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade