Rio Branco,

Aplicativo de corridas chega a Cruzeiro do Sul e taxistas buscam o Ministério Público

Cidades

Por Por ac24horas

Como já aconteceu na maioria das cidades, uma empresa de aplicativo de chamadas de carro para corridas já atua em Cruzeiro do Sul. Segundo o gerente, Onassis Brito, os 32 carros cadastrados já realizaram mais de 1.500 corridas. O objetivo dele é ampliar a frota até chegar aos 50 veículos. “Os preços mais baixos são nosso principal atrativo”, destaca.

Publicidade

O Sindicato dos Taxistas ressalta que vai buscar a prefeitura e o Ministério Público para que haja regulamentação do serviço, “de modo que todos paguem taxas e serviços como nós pagamos”, cita Adriano Santos, presidente do Sindicato da categoria, que congrega 150 taxistas, sendo que pra cidade com 80 mil habitantes, deveria haver menos de 100 táxis.

Adriano diz que a concorrência é desleal e que há táxis piratas também. “Terça-feira vamos ao Ministério Público e queremos que haja fiscalização para todos os que fazem transporte irregular, seja táxi, aplicativos e lotações”.

O gerente da empresa de aplicativo diz que o grupo está legalizado junto à prefeitura de Cruzeiro do Sul, o que é negado pela chefe de Gabinete, Ildelcleide Cordeiro.

O prefeito Ilderlei Cordeiro, afirma que a prefeitura desenvolveu um aplicativo de chamadas para taxistas e moto taxistas da cidade ” que nunca se interessarem em usar, mesmo sendo de graça”.

Para a mobilidade nos 36 bairros de Cruzeiro do Sul e pra zona rural, os cruzeirenses contam com uma frota particular de 50 mil veículos, 10 ônibus, 25 vans,150 táxi, 225 mototáxi, 80 pampeiros e 40 pau-de-arara.

Na cidade as opiniões de dividem quanto ao uso dos aplicativos de chamadas. A estudante Vanderleia Soares diz que anda bastante a pé com as colegas. “São cerca de três km por dia. Os ônibus e vans demoram muito e o resto tudo é caro. Essa semana eu e minhas amigas rachamos uma corrida de aplicativo e deu R$ 3 para cada uma. Se fosse de táxi daria R$ 6 para cada uma.”

Já o comerciário Jonas Abreu explica que “para sair a noite eu uso táxis porque confio muito nos taxistas”.

Para a autônoma Cida Albuquerque, “é bom quando há várias opções de mobilidades porque a concorrência faz baixar os preços das corridas. Eu chamo o que tiver preço mais baixo seja táxi ou carro de aplicativo”.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade