Connect with us

esporte

Ronaldinho Gaúcho se nega a cumprir sentença da Justiça

Publicado

em

TJ determinou apreensão de passaporte do jogador

Por FolhaPress –

apreensão do passaporte de Ronaldinho Gaúcho e Assis, seu irmão e empresário, é uma decisão extrema em uma ação de crime ambiental. A medida, tomada na última quarta-feira, é característica de processos criminais. Mas o pedido do Ministério Público foi acatado mesmo se tratando de um processo cível porque a Justiça entendeu que houve descaso do ex-jogador.

Em 2015, Ronaldinho Gaúcho foi condenado a demolir as obras feitas em um terreno de Porto Alegre, localizado em área de preservação permanente. Ele também teria de pagar uma multa de R$ 800 mil. Já naquela época, a juíza Fernanda Carravetta Vilande apontava descaso por parte dos irmãos. Na sentença, ela escreveu que houve “desprezo à legislação e aos agentes públicos e, inclusive, ao comando judicial proferido (os réus, simplesmente, ignoraram a ordem antecipatória, sequer tendo apresentado contestação ou justificativa de qualquer espécie), fixo o valor de R$ 800 mil a título de indenização por danos ambientais”.
Esta condenação ocorreu três anos e oito meses atrás e, até agora, ele e Assis não cumpriram a sentença. “Os sujeitos responsáveis pela dilapidação do meio ambiente estão a se esquivar há longa data do cumprimento de suas obrigações legais”, escreveu o desembargador Newton Fabrício, integrante da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que tomou a decisão.

O fato de a apreensão dos passaportes ser determinada pelo Tribunal de Justiça significa que é uma decisão da segunda instância. O processo está em andamento desde 2012 e se baseou em uma investigação que começou em 2009. A apuração indicou a construção de um trapiche de 142 metros que começava nas margens do Lago Guaíba, Zona Sul de Porto Alegre, e invadia a água em 70 metros.

No final, havia uma plataforma para atracar barcos e uma de pesca. Ocorreu ainda a canalização de 110 metros de um riacho, a construção de duas pontes no local e pavimentação da margem esquerda do lago. O terreno onde tudo aconteceu pertencia ao Teresópolis Tênis Clube e foi comprado por Ronaldinho.

O UOL Esporte ligou para Assis diversas vezes durante a tarde e o começo da noite de sexta-feira e todas as chamadas foram encaminhadas para a caixa postal.

APREENSÃO DE PASSAPORTE

Esta não foi a primeira vez que o Ministério Público solicitou a apreensão do passaporte de Ronaldinho Gaúcho e Assis. Em 16 de janeiro deste ano, o juiz Ramiro Oliveira Cardoso avaliou a retenção deste documento ou da carteira de motorista dos réus. O argumento para não aceitar foi o fato de se tratar de uma medida característica de ações criminais.

“Indefiro o requerimento de depósito em juízo do passaporte e/ou carteira nacional de habilitação até o adimplemento da dívida por implicar o pleito em interdição temporária de direitos, espécie de medida restritiva, equiparável, portanto, a pena criminal”, escreveu o juiz da 3ª vara cível.

O processo em que Ronaldinho e o irmão foram condenados também determina o pagamento de indenização de R$ 8,5 milhões. O valor alto é uma atualização do montante estipulado na decisão de 2015. Na ocasião, a Justiça fixou indenização de R$ 800 mil, deu prazo de seis meses para as obras serem demolidas e multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento do prazo. Também consta da decisão da última quarta-feira não permitir a emissão de nenhum documento em nome dos réus.

Além dos dois irmãos, a empresa que construiu o trapiche e canalizou o riacho também foi condenada. Trata-se da Reno Construções e Incorporações Ltda. O UOL Esporte tentou contato em dois telefones e as ligações não foram atendidas.

FISCAIS BARRADOS

O descaso não é algo que ocorreu somente depois da sentença. Em todo o período, a Justiça apontou falta de colaboração de Ronaldinho e seu irmão. Em um trecho do despacho do juiz de primeira instância, Mauro Caum Gonçalves, foi mencionada a proibição de fiscais entrarem na propriedade onde ocorreu o crime ambiental.

“Também está comprovado, através dos documentos que os demandados (réus) efetuaram as obras referidas na inicial sem prévia licença ambiental e sem a realização de estudo de impacto ambiental, tendo sido, inclusive, impedida a entrada, em certa oportunidade, da equipe de fiscalização na área degradada”.

Mas ainda assim a investigação ocorreu porque vários vizinhos fizeram denúncias. O inquérito constatou que Ronaldinho e Assis foram avisados que a construção do trapiche e a canalização do rio caracterizavam crime ambiental.

“Todavia, ignoraram todas as advertências administrativas, tendo prosseguido na conclusão das obras, sem prévia licença ambiental e sem autorização dos órgãos responsáveis, conforme informação emitida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente”, aponta um trecho da decisão do juiz de primeira instância.

As advertências foram repetidas durante dois anos e ainda assim Ronaldinho e o irmão prosseguiram com as obras. A apreensão do passaporte pode complicar os negócios de Ronaldinho, que constantemente está viajando por causa de ações de patrocinadores. Na quinta-feira, ele estava no Japão cumprindo compromissos.

Para se ter uma ideia da rotina do ex-jogador, o lançamento da camisa que a seleção brasileira usou na Copa da Rússia teve Ronaldinho Gaúcho como principal atração num palco montado na Avenida Paulista, em São Paulo. No backstage, repórteres de todo o país pediam entrevista a Assis.

Era março e o empresário de Ronaldinho Gaúcho abriu a agenda do celular mostrando que no mesmo dia o irmão viajaria com destino a Ásia, África e Europa para compromissos de patrocinadores. Eles voltariam somente depois da final da Copa.

Continue lendo

esporte

A história das edições da Copa América disputadas no Brasil

Publicado

em

Redação Ecos da Notícia

Futebolisticamente falando, no Brasil, esse ano de 2019 fica marcado pela organização de mais uma edição da Copa América, torneio de seleções mais antigo do mundo. Essa será a quarta vez que o país recebe o torneio e, como tal, abordamos as outras quatro ocasiões em que se disputou em solo “Canarinho”.

1919

A terceira edição da Copa América organizada pela CONMEBOL, à época denominada Campeonato Sul-Americano de Futebol, se disputou no Brasil entre os dias 11 e 29 de maio de 1919. Em prova estiveram apenas quatro seleções: o anfitrião Brasil, a rival Argentina, o Chile e o Uruguai.

O torneio se disputou inteiramente no Rio, com o estádio das Laranjeiras a ser o palco designado para a realização dos jogos. As quatro equipas ficaram naturalmente agrupadas em um só grupo disputado a turno único, com vitória final do Brasil. Os anfitriões terminaram com os mesmos cinco pontos que o Uruguai na liderança do grupo, levando a decisão para um encontro de desempate. Aí, o Brasil levou a melhor com triunfo por um a zero, consumado graças a um gol de Friedenreich, artilheiro da competição que marcou na prorrogação e definiu o jogo em um a zero.

O torneio ficou marcado pela negativa devido ao falecimento de Roberto Chery, goleiro do Uruguai que não resistiu a uma apendicite aguda.

1922

O designado Campeonato Sul-Americano se disputava anualmente, ao contrário do que acontece nos dias de hoje. Como tal, três anos após a disputa da primeira edição de sempre no Brasil, o país voltou a receber a prova, desta feita em sua 6ª edição. Os locais viriam a celebrar novamente, desta feita com cinco times em vez de quatro e um estreante no Brasil que se sagrou vice-campeão.

De 17 de setembro a 22 de outubro, Brasil, Paraguai, Uruguai, Argentina e Chile estiveram em competição. Pela primeira vez na história do Campeonato Sul-Americano, três times acabaram empatados no topo do grupo, cada qual com cinco pontos: Brasil, Paraguai e Uruguai. Não obstante, como forma de protesto contra a arbitragem, os “Charrúa” abandonariam a competição e o jogo extra seria disputado por brasileiros e paraguaios, ganho pelo time local por três a zero, apesar de não ter contado com Arthur Friedenrich. Em ano de Centenário da Independência, o Brasil recebeu uma competição em que a Argentina, campeã em título, não pôde contar com os jogadores de alguns dos principais emblemas.

1949

Edição número 21, oito seleções a concurso, novo título para o Brasil no seu próprio território.

Volvidos 27 anos, a seleção brasileira retornou ao topo do futebol sul-americano, uma vez mais à custa do adversário que tinha vencido no jogo de desempate em 1922: o Paraguai. Em São Januário, perante mais de 50 mil torcedores, a “Canarinha” goleou o Paraguai por sete a um com um hat trick de Ademir e se sagrou campeã sul-americana, em uma competição que não contou com a participação da Argentina mas teve em cena Paraguai, Perú, Bolívia, Chile, Uruguai, Equador e Colômbia.

Em 1958, o Brasil venceria pela primeira vez uma edição da Copa do Mundo.

1989

Sem surpresas uma vez que falamos da edição mais recente da prova, a Copa América 2019, já sob essa mesma designação, foi de todas as edições recebidas pelo Brasil aquela que mais se assemelhou ao atual formato. Dez times a concurso, dois agrupamentos de cinco e diferia posteriormente: um grupo final ao invés de eliminatórias.Tal como não três edições edições anteriores disputadas em s
olo brasileiro, a “Canarinha” terminaria com o troféu nas mãos. Após ultrapassar seu grupo na primeira posição com três vitórias em três desafios, venceria o grupo da fase final também com as mesmas três vitórias. Volvidos 30 anos, os eleitos de Tite querem manter o registo 100 por cento vitorioso em edições da Copa disputadas no Brasil.

2019

Sem vencer uma edição da Copa América desde 2007, a seleção brasileira espera manter o registo 100 por cento vitorioso em solo nacional. 12 seleções vão discutir uma competição em que, segundo as odds da Betway a 16 de janeiro, Brasil (13/8) e Argentina (5/2) são os favoritos ao triunfo final. O início da competição está agendado para dia 14 de junho e a final prevista para 7 de julho. Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Chile, Peru, Venezuela, Paraguai, Equador, Bolívia, Japão e Qatar, as últimas duas seleções asiáticas que vão estar em prova na condição de convidadas.

Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre são as cidades que vão receber a edição 46 da Copa América, quarta grande competição esportiva organizada pelo Brasil em um intervalo temporada de seis anos.

 

Continue lendo

esporte

Lateral esquerdo do sub-20 do Galvez passará por testes no Oeste de São Paulo

Publicado

em

Assessoria/Galvez

Com um bom desempenho realizado na Copa São Paulo de Futebol Júnior, vários times ficaram interessados nos garotos do sub-20 do Galvez, além do Erick que irá para o Vasco da Gama, o lateral esquerdo do Imperador, Sidnei Cesar Soares, mais conhecido como Side, se apresentará ao Oeste Futebol Clube no dia quatro de fevereiro.

Ele irá incorporar ao sub-20 do Oeste e passará por um período de 20 dias de testes e adaptação ao clube. O rubro-negro, que não é o Flamengo, disputará a séria “B” do Campeonato Brasileiro de 2019 e a Copa do Brasil de Juniores.

“Essa é uma ótima oportunidade de mostrar o que mais sei fazer, jogar futebol, e a minha ida para o Oeste, é uma porta que se abre na minha vida profissional, espero atender as expectativas e desempenhar um bom futebol, mas sou agradecido ao Galvez e o professor Oziel que confiou em mim”, declarou Sidnei Cesar Soares.

O presidente do Galvez Esporte Clube, Edener Franco, comentou que a ida desses garotos para o futebol dos grandes centros é fruto de um trabalho dedicado desenvolvido nas bases.

“Trabalhamos fortemente com as categorias de base, os garotos não só treinam, mas também recebem disciplina para se tornarem cidadãos de bem além de fazerem o que gosta, e a melhor resposta é essa, o reconhecimento nacional do futebol acreano”, afirmou.

Continue lendo

esporte

Goleadas, rebaixamento e semis definidas: a última rodada do Acreano de Futsal

Publicado

em

Por Globo Esporte/G1 Acre –

A primeira fase do Campeonato Acreano de Futsal está finalizada. Neste fim de semana, três partidas completaram nona e última rodada e definiram o quarto time classificado às semifinais, além da segunda equipe rebaixada para a segunda divisão em 2019. Foram 38 gols marcados.

No último sábado (3), na cidade de Xapuri, o Atlético Xapuriense garantiu a primeira colocação ao bater o Rivera por 5 a 2. O resultado beneficiou o Palmeiras, que ficou com a quarta colocação e se garantiu nas semifinais.

Em Sena Madureira, o Sena Madureira não deu chances ao Villa, já rebaixado, e goleou por 11 a 4, assegurando a segunda posição.

Neste domingo (4), no município de Feijó, o Juventus de Feijó venceu o Murbanense por 10 a 6, se garantiu na elite do futsal acreana na próxima temporada e decretou o rebaixamento do representante de Manoel Urbano para a segunda divisão.

Com os resultados, os duelos das semifinais estão definidos. O Atlético Xapuriense, primeiro colocado, vai encarar o Palmeiras, quarto classificado. No outro duelo, o Sena Madureira, segundo lugar, enfrenta o Big Bran, atual bicampeão, que se classificou em terceiro.

As semifinais serão disputadas em jogos de ida e volta com as equipes de melhor campanha fazendo a segunda partida como mandante. A Federação Acreana de Futsal (Fafs) deve divulgar no decorrer desta semana as datas e horários dos duelos.

Continue lendo

Veja também

Mais lidas

Portal de notícias do Acre | Diretor e Redator - Lenilda Cavalcante FENAJ 084 | Copyright © 2006-2018 ECOS DA NOTÍCIA - Todos os direitos reservados.