Rio Branco,

aaa

No rádio e na televisão, PT começa transição e diz que ‘Haddad é Lula’

da redação
- Publicidade-

© REUTERS

programa da campanha do PT à Presidência da República no rádio e na TV nesta terça (4) continuou a defender a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, barrada pelo TSE. Ao mesmo tempo, no horário gratuito, o partido começou a sinalizar a substituição do ex-presidente por Fernando Haddad.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o PT já se prepara para retirar a candidatura de Lula na próxima terça-feira (11), prazo fixado pela Justiça para o partido substituir o cabeça de chapa.

Assim como no sábado (1º), o segundo dia da propaganda foi aberto com a leitura da decisão do Comitê dos Direitos Humanos da ONU que defende o direito de Lula de ser candidato. Dessa vez, porém, o programa acrescentou a informação de que a candidatura foi barrada pelo TSE. Na sequência, o petista apareceu defendendo os feitos de seus governos.

“O povo sabe o que aconteceu no período em que governamos esse país. Esse povo sorria. Esse povo comia. Esse povo trabalhava. Esse povo recebia salário. Esse povo estudava. Ele sabe disso, que nós fizemos um Brasil melhor nesses 12 anos e isso é possível a gente devolver para o povo”, afirmou Lula.

Na conta, o ex-presidente exclui o tempo do segundo mandato de Dilma Rousseff, que foi afastada do cargo em maio de 2016 e teve seu processo de impeachment concluído em agosto do mesmo ano.

Haddad foi então apresentado após uma música que diz que na “seca a esperança vive” e que “Haddad é Lula”. O ex-prefeito fez um juramento de lealdade ao ex-presidente e promete aos brasileiros devolver o país deixado pelo petista.

Na propaganda petista desta terça, o jingle da campanha foi alterado. Trecho que antes dizia “chama que o homem dá jeito”, foi mudado para “chama que o 13 dá jeito” e “Lula é Haddad, é o povo”.

O bloco do horário eleitoral petista encerrou com a fala de um jovem, que diz que Haddad representa o sonho de milhares de jovens.

O TSE determinou nesta segunda-feira (3) que o PT não poderia utilizar o mesmo material transmitido no sábado, em que Lula continuava como candidato da chapa, apesar do veto da corte.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que apresentou na noite de segunda uma petição ao Comitê de Direitos Humanos da ONU para assegurar que o Brasil cumpra a decisão do órgão e libere a candidatura do petista.

A petição requer que o comitê dê nova decisão reiterando a obrigação do Estado brasileiro de acatar o entendimento de 17 de agosto. Com informações da Folhapress.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS