Connect with us

polícia

Empresário preso por espancar mulher tem arma e é de ‘família tradicional’, diz advogado

Publicado

em

Foto: Facebook/Reprodução

O advogado do empresário Marcelo Felipe Morelo, de 32 anos, preso na quinta-feira (13), em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, suspeito de espancar a mulher dele, diz, em nota emitida nessa segunda-feira (17), que ele não agrediu a vítima e contesta a informação da Polícia Civil de que ela tenha sido internada após ter sido espancada.

Marcelo Felipe teve a prisão preventiva decretada pela 2ª Vara Criminal de Sorriso. Na delegacia, ao ser fotografado para o procedimento da prisão, ele sorriu.

O advogado Cezar Viana Lucena afirma que houve um desentendimento entre marido e mulher, mas nega que o cliente tenha agredido a mulher.

“Marcelo de fato teve um desentendimento com a ex-esposa no dia 11 de setembro, mas em nenhum momento culminou em qualquer agressão, seja ela física, moral ou psicológica. Tanto é verdade que após o fim da discussão e de terem ventilado a possibilidade de divórcio, Marcelo, a pedido de sua esposa, a deixou na residência dos pais no mesmo município de Sorriso”, argumenta.

Na data da prisão, a polícia apreendeu uma pistola, com munições, que estava no bolso da calça do suspeito. Segundo a defesa, ele é praticante de tiro esportivo e alegou que a arma tem registro na Polícia Federal.

“Inicialmente, quero esclarecer que o senhor Marcelo Morelo jamais agrediu ou ameaçou a sua ex-esposa ao longo dos mais de 12 anos de convivência. Marcelo que é de família tradicional na cidade de Sorriso sempre pautou sua conduta pela ética, pela moral e pelos melhores valores familiares”, diz trecho da nota.

O suspeito está preso no Centro de Ressocialiação de Sorriso.

Denúncia

De acordo com a Polícia Civil, que investiga o crime, a denúncia contra o ex-marido partiu da gamília da vítima, depois que ela estava hospitalizada pelos ferimentos supostamente provocados por Marcelo.

A família relatou à polícia que na terça-feira (11) o suspeito deixou a vítima na porta de casa alguns parentes depois de tê-la agredido fisicamente e a ameaçado de morte.

A polícia informou que Marcelo é usuário de drogas e que, após passar dias fazendo uso de entorpecentes, teria acordado agressivo, passando a agredir a vítima com socos por todo o corpo e coronhadas. Ele ainda teria a ameaçado com uma pistola. O casal tem um filho de 11 anos. (G1/MT)

Continue lendo

polícia

Polícia Militar recupera 4 motocicletas em Rio Branco

Publicado

em

Por Juruá em tempo

Na tarde da última quarta-feira (14), militares do 2º Batalhão recuperaram duas motocicletas após averiguação em um matagal no Bairro Santa Inês, ambas com restrição de roubo.

Ainda na 2ª regional, uma terceira motocicleta foi recuperada no Bairro Amapá, onde após o rastreamento do veículo que havia sido roubado por volta das 14h, foi possível localizá-la em uma área de mata na Estrada do Amapá.

No início da noite durante uma blitz policial realizada por militares do 1º Batalhão, uma 4ª motocicleta foi apreendida com restrição de furto, sendo seu condutor identificado como foragido da justiça.

Os veículos recuperados e o foragido apreendido foram conduzidos a delegacia de polícia para realização dos procedimentos cabíveis.

Ascom PMAC

Continue lendo

polícia

Feto é encontrado ao lado de unidade de saúde do Acre

Publicado

em

Por G1 Acre

Funcionário da UPA da Sobral achou feto com placenta e cordão umbilical nesta quinta (15), em Rio Branco.

Um feto foi encontrado por um funcionário da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral, em Rio Branco, nesta quinta-feira (15). Segundo a direção, o feto foi deixado ao lado da unidade.

A Polícia Civil do Acre e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados para atender a ocorrência. O feto não estava enrolado em nada e tinha placenta e cordão umbilical.

“Foi na parte lateral, tem o estacionamento e o funcionário encontrou. Nossa conduta foi chamar a polícia, que veio e acionou o IML para fazer a perícia. Vão investigar para saber o que aconteceu”, explicou a diretora da unidade, Tatiana Calixto.

Ainda segundo a gestora, imagens das câmeras de segurança devem ajudar na identificação da mãe.

Mãe desconhecida

A diretora acrescentou que os funcionários não sabem quem deixou o feto no local. Ela afirmou que não houve relatos das equipes sobre alguma mulher com suspeita de aborto.

“Ainda vamos investigar, não tem como dizer ao certo [quem é a mãe]. Pela análise da médica de plantão, tem dois meses o feto”, complementou.

Tatiana revelou que área onde o feto estava é acessada pelo estacionamento. Não é um local de circulação de pacientes, mas, segundo ela, também não é uma área proibida.

Não tem grade, é aberta, não dá para ter acesso pela frente, mas pelo estacionamento sim. Como é aberto, todo mundo tem acesso.

Continue lendo

polícia

Enfermeira é agredida por paciente na UPA da Sobral

Publicado

em

Por ac24horas

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac), relatou com indignação o caso de uma enfermeira que atua na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no bairro Sobral, em Rio Branco. Segundo publicação de Adailton Cruz, a colega foi agredida na noite dessa quarta-feira, 14, enquanto estava no setor de Classificação de Risco.

De acordo com as informações de Adailton, mesmo após ter sido atendida, a paciente retornou ao setor e agrediu a enfermeira. “De forma covarde e inimaginável. Brutalmente agredida, física e psicologicamente, inclusive com lesão na região cervical, por uma pseudo paciente, motivada pelas piores intenções e de caráter da pior estirpe”, relatou o presidente do sindicato.

Numa imagem divulgada, a enfermeira aparece atrás de uma mesa que fora virada e um computador jogado no chão. Cruz destacou que a servidora não recebeu apoio do estado. “É revoltante a omissão do estado, a falta de segurança e apoio aos trabalhadores em saúde”, escreveu. E finalizou repudiando o descaso e falta de apoio e segurança aos trabalhadores de unidades públicas de saúde.

Segundo ele, o sindicato irá oferecer o jurídico para representar a agressora nas esferas criminal e cível: “para que responda perante a lei e o episódio não fique impune”, garantiu. Adailton descreveu a enfermeira como profissional que ajuda a “salvar vidas e a reduzir o sofrimento do próximo”.

Continue lendo

Veja também

Mais lidas

Portal de notícias do Acre | Diretor e Redator - Lenilda Cavalcante FENAJ 084 | Copyright © 2006-2018 ECOS DA NOTÍCIA - Todos os direitos reservados.