Rio Branco,

aaa

Sem acordo, presos encerram greve de fome após uma semana no Acre

da redação ecos da notícia
- Publicidade-

Sem conseguir um acordo, os detentos de duas unidades prisionais de Rio Branco, encerraram a greve de fome neste domingo (19). A informação foi confirmada pelo diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC).

Dos seis presídios que aderiram à greve na segunda-feira (13), somente os presos do Presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro e da unidade Francisco D’Oliveira Conde permaneciam com greve.

“Os detentos cessaram a greve e já tomaram café da manhã e almoçaram hoje”. Questionado se as reivindicações dos detentos tinham sido atendidas, o diretor se limitou a dizer que “não houve acordo”.

Cerca de 4,5 mil presos em greve de fome

Conforme o Iapen, cerca de 4,5 mil presos ficaram em greve de fome em seis presídios do estado. O órgão informou que o movimento buscava regalias e que o sistema penitenciário iria avaliar as reivindicações, mas podia ceder apenas nos casos em que o pedido estivesse previso em lei.

Os presos pediam visitas íntimas a cada 15 dias e a volta da visita das ‘amigas’ que ocorriam todos os finais de semana e agora são liberadas apenas uma vez por mês. As detentas também exigem receber a visita dos maridos.

Além disso, os chefes de facções que cumprem pena no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) no Presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro, em Rio Branco, pedem acesso à televisão, rádio e ventilador.

Em Cruzeiro do Sul, representantes dos presidiários apresentaram suas reivindicações aos diretores da unidade. Entre as reivindicações apresentadas estavam o aumento do horário da visita íntima e a revisão dos processos dos que estão com penas vencidas.

Fonte: G1/Acre

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS