Rio Branco,

aaa

Pane elétrica volta a deixar cidades da Venezuela sem energia

Da Redação Ecos da Notícia

O apagão, que em algumas regiões durou menos de uma hora, afetou o município Libertador, o principal de Caracas, além de outros municípios

- Publicidade-

Uma falha elétrica voltou a deixar a cidade de Caracas e os vizinhos Miranda e Vargas sem energia, nesta quarta-feira (29), interrompendo as comunicações e obrigando o metrô a paralisar completamente o serviço de transporte de passageiros.

O apagão, que em algumas regiões durou menos de uma hora, afetou o município Libertador, o principal de Caracas, urbanizações do centro da cidade como San Bernardino, Candelária e Las Palmas, mas também do leste, conhecidada como La Florida, La Campiña, La Castellana, Los Ruices, Boleíta, El Rosal, Las Mercedes, Los Palos Grandes, Dois Caminhos, La Unión e Altamira.

A pane aconteceu após terem diversas quebras de energia elétrica, uma delas, pouco antes do grande apagão. “Estávamos atentos pelas oscilações e, quando caiu de 120 para 33 volts, apagamos rapidamente os frigoríficos e os aparelhos elétricos”, disse.

 Governo sabia de falhas em ponte de Gênova desde fevereiro

O metrô de Caracas suspendeu as operações que, uma hora depois, segundo uma mensagem no Twitter, já estavam “funcionando em todas as suas linhas e estações”.

Outras localidades às escuras

A falha de energia afetou também o estado de Vargas (Norte de Caracas), deixando temporariamente às escuras, segundo fontes não oficiais, o Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maquetía, o principal do país. Em Vargas, por meio das redes sociais, os usuários se queixaram de interrupções no serviço elétrico nas localidades de Cátia La Mar, Urimare, Carlos Soublette, Maiquetía, La Guaira e Naiguatá.

Problema recorrente

Na Venezuela são cada vez mais frequentes os apagões, uma situação que o governo venezuelano atribui a sabotagem e a oposição à falta de investimentos e de manutenção no setor. Os apagões são mais frequentes no interior do país, onde a população se queixa informando que passa até cinco dias sem luz.

Com informações da Lusa.
- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS