Rio Branco,

aaa

No Acre, investimentos em investigações criminais caíram 95,37% de 2016 para 2017

Por Marcos Dione, do ecos da notícia
- Publicidade-

Emylson Farias, secretário de segurança na época e atual candidato-Foto: Marcos Dione

O governo gastou pouco mais de R$ 512 mil reais com a segurança pública do Acre no ano de 2017. Os dados divulgados na quinta-feira (9) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apontam que o governo investiu com policiamento mais de R$ 300 mil. Por outro lado, com informações e serviços de investigações criminais os gastos caíram em 95,37%, entre 2016 e 2017.

Em 2017, os gastos chegaram a uma quantia de R$ 688,57 e em 2016 o valor foi de pouco mais de R$ 14,8 mil. Na época, o secretário de segurança pública era Emylson Farias, atual candidato à vice-governador na chapa da Frente Popular, que tem como candidato o ex-prefeito Marcus Alexandre (PT).

Vale ressaltar, que devido os 530 assassinatos registrados em 2017, o Acre ganhou o status de segundo estado mais violento do Brasil. A capital Rio Branco lidera o ranking das maiores taxas de crimes violentos resultantes em mortes, com 83,7 por 100 mil habitantes, seguida de Fortaleza (CE), com 77,3, e Belém (PA), com 67,5. Maior parte dos assassinatos não foi elucidada.

O FBSP também aponta que entre 2016 e o ano passado um total de 489 armas de uso restrito das forças de segurança foram extraviadas, furtadas ou roubadas. Contudo, o Acre aparece como o segundo com maior taxa de assassinatos, e ao mesmo tempo o segundo que mais teve gastos com o setor de segurança pública, o que aponta que o recuso pode ter tido uma má gestão.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS