Rio Branco,

aaa

Crime e mistério compõem o assassinato de um caseiro e desaparecimento da filha

Monica Regina da Redação Ecos da Notícia
- Publicidade-

Em Rio Branco, interior e aos arredores da capital crimes contra a venda e desaparecimentos de pessoas estão ocorrendo de forma misteriosa e na maioria das vezes o desfecho é trágico.

Na última terça-feira (07), moradores do Seringal Capatará, localizado na zona rural do município de Porto Acre encontraram o corpo do caseiro João Emídio Cavalcante de Lima, 48 anos.

De acordo com o apurado pelo Ecos da Notícia, o corpo apresentava sinais de violência, com uma perfuração a tiro na nuca e vários golpes de faca.

Familiares de Emilio informaram a polícia e que durante toda a terça-feira falaram com ele por celular e em todas as conversas ele informou que estava recebendo a visita da família do ex-caseiro que teria ido levar ração para os cachorros.

Emílio Cavalcante morava sozinho e a suspeita é que ele tenha sido morto na sexta-feira (03).

A vítima morava sozinho por isso a família sempre tinha a preocupação de ligar todos os dias para ele.

Segundo uma cunhada de João Emilio, ela teria feito todas as ligações e no final da tarde de sexta-feira (03), ele atendeu e ela teria notado barulho e perguntou quem estava com ele e novamente ele respondeu que o caseiro e a família, mas esclareceu que o caseiro tinha saído para caçar e ficou na casa a mulher e os filhos.

Já no período da noite a cunhada retorna a ligação e ninguém atende. Preocupada ela ligou para o patrão do cunhado que mandou o caseiro vizinho (o mesmo que teria passado o dia na casa de Emilio), e ao retornar a ligação para o patrão da vítima informou que ele estava morto dentro de casa.

Suspeitas

Familiares de Emílio Cavalcante suspeitam que a mulher do caseiro vizinho da vítima que tem uma fama de ficar com vários homens possa ter ficado com Emílio enquanto o marido caçava e ao retornar pegou os dois em flagrante e decidiu matar Lima.

Em Rio Branco filha do caseiro morto desaparece no mesmo dia da morte do pai

Thais Emília, filha do caseiro morto desapareceu depois de ir ao banco sacar dinheiro.

Se a morte do caseiro Emílio Cavalcante já foi uma grande tragédia para a família, agora eles vivem outro tormento, pois no mesmo dia que o pai morreu a filha Thais Emília Cavalcante de Araújo, de 2 anos, que morava em Rio Branco, saiu de manhã para ir a uma unidade bancaria sacar certa quantia em dinheiro.

Segundo a mãe de Thais por volta das 10 horas ela falou com a filha que avisou que estaria saindo do banco.

Depois disso a filha não retornou para casa, a mãe envia mensagens para o celular da filha, as que são visualizadas porem não respondidas e quando ligar o aparelho chama, mas ninguém atende.

Já em total desespero a família afirma que caso, Thais estiver viva, não sabe ainda da morte do pai.

A morte do caseiro e o desaparecimento da filha estão sendo investigados pela DHPP.

 

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS