Caso estudantes do Taquari: buscas por terceira vítima continuam


por marcos dione, do ecos da notícia

Poço onde estudante foi jogado-Foto: Ecos da Notícia

Uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no final da tarde de ontem no poço de um terreno baldio localizado na Rua São Paulo, no bairro Taquari, em Rio Branco, local onde foi encontrado o corpo do estudante Vitor Vieira. A equipe voltará nesta sexta-feira (10) para tirar toda a água que tem no buraco. A suspeita dos moradores é de que Amanda Gomes, 14 anos, também tenha sido assassinada e jogada no mesmo poço.



Amanda é a única dos três estudantes desaparecidos que ainda não foi encontrada. Vitor, acompanhado de Amanda e Isabelle Lima, 13 anos, foram juntos no domingo (5) ao encerramento da Expoacre, desde então não foram mais vistos. Na terça-feira (7), o rapaz de 18 anos foi encontrado morto com as mãos amarras dentro do poço. Na quinta (9), Issabelle foi encontrada morta na Chácara Santa Bruna, na mesma região.

Amanda, Isabelle e Vitor-Fotos: Arquivo Pessoal

Familiares presos

Na noite de quarta (8), no município de Bujari, interior do Acre, a polícia abordou um veículo e prendeu pelo menos quatro pessoas, sendo que entre elas estavam o pai e a tia de uma das meninas desaparecidas. Os outros dois, segundo a polícia, são membros de uma facção, um era foragido da justiça e outro estava em posse de uma arma de fogo.

O delegado Rêmulo Diniz, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), afirmou durante coletiva de imprensa que os familiares poderiam estar reunidos com os criminosos ligados à uma facção na tentativa de descobrir a motivação e autoria do crime que até aquele momento tinha uma vítima morta (Vitor) e duas desparecidas.

“vamos apurar o que buscavam com essa reunião lá no Bujari. São situações que tão ganhando outros ares e estamos tentando descobrir os porquês. Essas pessoas não tem ligação com o desaparecimento dessas meninas, estamos averiguando a motivação para estarem reunidos, acredito que por motivo de vingança”, disse o delegado.

Após prestarem depoimento, tanto o pai como a tia foram liberados. Até o momento a Polícia Civil ainda não informou se já possui suspeitos, ou sequer uma linha de investigação que possa elucidar o crime. O que se tem de informação é que uma das linhas não descartadas é a de crime passional, quando a morte é motivada por ciúmes.

Um retrato da violência no Acre

Local onde Isabelle foi encontrada morta-Foto: Ecos da Notícia

O caso desses três estudantes já entrou para a história do Acre como um dos crimes mais bárbaros já registrados. Nas redes sociais milhares de pessoas lamentam e se dizem estarrecidos com tamanha perversidade de como as duas vítimas encontradas foram torturadas e mortas.

Coincidentemente, na quinta-feira (9) foi divulgado pela imprensa nacional os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apontando que o Acre é o segundo estado com maior taxa de homicídios e Rio Branco a capital mais violenta e insegura do país. No ano de 2016 foram 368 assassinatos, contra 530 em 2017, um aumento de 41,8%.

Brasil bate recorde em assassinatos em 2017 (Arte G1)


Notícias Relacionadas