Rio Branco,

aaa

Em menos de 5 anos, Cidade do Povo já apresenta problemas de infraestrutura

Da Redação Ecos da Notícia
- Publicidade-

Buracos tomam conta das ruas/Foto: TV Gazeta

O Cidade do Povo, o novo bairro de Rio Branco, está prestes a completar cinco anos de criação e já apresenta inúmeros problemas de infraestrutura. Segundo o presidente da associação de moradores da CDP, Robson Silva, o que salta aos olhos é a má qualidade do asfalto, que há muito tempo apresenta buracos, além de problemas com rede de esgoto.

“A única coisa que a gente escuta do poder público do município é que não é responsabilidade da prefeitura. Do governo do Estado, o secretário nos disse que a responsabilidade é das empresas. A Caixa Econômica contratou, eles entregaram pra prefeitura, a prefeitura diz que nada foi entregue e ficam jogando um pro outro. Nosso bairro é novo pra estar se acabando desse jeito”, lamenta.

A comunidade também reclama das paradas de ônibus que são apenas sinalizadas e não tem abrigo. Faça chuva, faça sol, os passageiros precisam aguardar nos pontos, sem nenhum tipo de proteção. Além disso, mesmo admitindo ser um problema criado dentro da comunidade, o presidente da associação reclama de lixo acumulado em várias quadras abandonadas e até mesmo no meio da rua. Ofícios foram enviados, de acordo com o líder comunitário, mas sem solução ao problema.

Outra reclamação e que talvez seja a mais gritante no momento é o abandono nas obras de uma creche, que fica no entorno das escolas do bairro. Segundo Robson Silva a cerca de um ano o trabalho de conclusão foi paralisado e o espaço está se deteriorando, sem vigilância ou fiscalização.

O portão fica aberto, dando acesso, por exemplo, a materiais de construção como brita e areia. O mato já toma conta do lugar. Crianças circulam livremente no lugar, inclusive, já foram flagradas escalando a caixa d’água, de pelo menos 5 metros de altura.

“Semana passada a gente tirou foto de três crianças no alto da caixa. Não tem água, tá seca, mas se cair dentro, morre”, denuncia Silva. “Nossa preocupação é com o abandono, nosso dinheiro indo pro ralo”, opina.

A associação já teria enviado comunicados à Secretaria de Educação, que respondeu avisando que faria reunião com a empresa responsável pela obra. Os ofícios foram respondidos há 2 meses e até agora, nenhuma providência foi tomada.

Desde sua inauguração em maio de 2014, o projeto habitacional ainda segue em tese, o propósito de ser um bairro funcional com todos os tipos de serviços públicos aos seus moradores. Atualmente aproximadamente 15 mil pessoas habitam na Cidade do Povo. A percepção da associação de moradores é que o bairro já chegou ao status de abandono.

Fonte: TV Gazeta

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS