Rio Branco,

aaa

Por prevenção, empresas de transporte público reforçam estoque de combustível devido a protesto em Rio Branco

Por Quésia Melo, G1 AC, Rio Branco

RBTrans confirmou informação nesta quinta (24), mas afirma que frota segue circulando normalmente. Caminhoneiros fizeram segundo dia de paralisação na capital acreana.

- Publicidade-

Por prevenção, as empresas de transporte público de Rio Branco decidiram buscar medidas para reforçar os estoques de combustíveis. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (24) pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans).

Os empresários temem um desabastecimento devido à greve de caminhoneiros que segue para o segundo dia na capital acreana. Os manifestantes pedem a redução do preço do diesel. As rodovias BR-364 e BR-317 estão bloqueadas, segundo o Sindicato dos Caminhoneiros e Máquinas Pesadas do Acre.

Ao G1, o diretor da superintendência, Gabriel Forneck, afirmou que a frota de ônibus segue operando normalmente até a tarde desta quinta (24).

“Está normal até certo ponto. Infelizmente, já existem dificuldades e as empresas estão correndo para ver se conseguem reforçar os estoques, vendo se conseguem mais combustíveis. Eles já trabalham com estoques, mas, a priori, está tudo tranquilo. A medida é de prevenção”, afirma o diretor.

Em resposta aos protestos, a Petrobras anunciou redução de 10% no preço do diesel nas refinarias e a medida deve valer por 15 dias. A redução representa menos R$ 0,26 no litro do combustível.

Durante uma coletiva, o Sindicato dos Revendedores de Derivados de Petróleo do Acre (Sindepac) informou, nesta quinta (24), que um dos 66 postos de Rio Branco, já estava sem combustível.

Aeroportos, ônibus, rodovias e segurança

A Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC) informou que está acompanhando a paralisação e disse que o trânsito está fluindo normalmente, com exceção dos caminhões que estão sendo parados pelos caminhoneiros. A PRF-AC acrescentou ainda que a manifestação está sendo pacífica. Não foram aplicadas multas e ninguém foi preso devido à manifestação.

A RBTrans falou que a paralisação ainda não está afetando o número de coletivos que circula na cidade e que a frota está 100% transitando nas ruas. Porém, por medida de prevenção, afirma que as empresas de transporte público procuram reforçar o estoque de combustível.

Ao G1, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Ifraero) informou que no Acre, nos dois aeroportos (Aeroporto Plácido de Castro, em Rio Branco, e Aeroporto Internacional de Cruzeiro do Sul, no interior), os voos estão operando normalmente.

Quanto aos hospitais, a Sesacre informou que não há falta de medicamentos e insumos nas unidades. Porém, vai se reunir ainda nesta quinta (24) com os manifestantes para pedir que eles deixem passar nas barreiras veículos com medicamentos, oxigênio e outros insumos.

O chefe de gabinete da Central de Abastecimento da capital acreana (Ceasa), Cleber de Souza, disse que o abastecimento foi feito normalmente nesta quinta (24), porém, alguns produtores de hortaliças podem ficar sem levar os produtos para a central. Das 44 feirinhas em bairros, duas não funcionaram nesta quinta porque os produtores não conseguiram chegar com os alimentos para abastecer.

Já o Sindicato dos Revendedores de Derivados de Petróleo do Acre (Sindepac) fez uma coletiva na tarde desta quinta-feira (24) para pedir que os motoristas mantenham a calma e não lotem os postos de combustível. O sindicato disse que não tem um balanço de como estão os tanques dos 66 postos sindicalizados na capital. Mas, um posto teve que parar as atividades ainda nesta manhã devido à procura pelo combustível.

Sobre o protesto dos caminhoneiros, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp-AC) informou que nenhuma operação foi afetada. Inclusive, nesta quinta (24), realizaram uma operação em um bairro de Rio Branco, capital acreana.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS