Rio Branco,

aaa

Polícia Federal ouve líderes de caminhoneiros para saber se há incentivo de empresários a greve no Acre

Por Guilherme Barbosa, Jornal do Acre 2ª Edição, Rio Branco

No estado, há três pontos onde os caminhoneiros estão parados. Em Rio Branco, 59 postos estão desabastecidos.

- Publicidade-

pós o presidente Temer acionar as forças armadas para desbloquear as rodovias federais interditadas, a Polícia Federal convocou alguns líderes dos caminhoneiros do Acre para depor devido à paralisação da categoria no estado.

A PF quer investigar se os empresários de algum setor estão contribuindo, incentivando e até orientado a paralisação de seus empregados – configurando assim uma greve liderada pelos patrões, o que é proibido por lei. Essa prática é conhecida como locaute.

A PF não informou quantos motoristas estão sendo ouvidos e também não deu mais detalhes sobre a ação.

O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros e Máquinas Pesadas do Acre, Júlio Farias, disse que a polícia pediu informações sobre o movimento, assim como em todo o país.

“A gente explicou que não estava tirando o direto de ir e vir de ninguém. E ninguém está ali forçado. Cada um parou seu caminhão porque não aguenta mais pagar R$ 5 no litro do combustível”, diz.

Caminhoneiros foram intimados pela PF a prestarem esclarecimentos  (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre )

Caminhoneiros foram intimados pela PF a prestarem esclarecimentos (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre )

Farias garantiu que o movimento não está sendo incentivado por nenhum caminhoneiro. “Queriam saber se tinha alguém por trás do movimento, mas é da categoria. A gente não aguenta mais pagar imposto”, diz.

O caminhoneiro Kennedy Cândido foi ouvido e liberado ainda no início da noite de sábado. Ele contou que a polícia questionou se algum empresário estava por trás do protesto.

“Vim dar meu depoimento e já estou voltando para o movimento. Queria saber se alguma empresa está nos apoiando, mas a única empresa é que população que tem nos ajudado. Perguntaram o motivo da manifestação e os veículos que estavam passando. Mas, nós estamos prontos para agir com inteligência em algumas medidas contra nós e vamos continuar dentro da lei”, destaca.

Após serem ouvidos, caminhoneiros foram liberados da sede da PF (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre )

Após serem ouvidos, caminhoneiros foram liberados da sede da PF (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre )

No Acre, os motoristas estão estacionados em trechos das Brs 364, 317 e também da rodovia Transacreana. A paralisação no estado ocorre desde a noite de quarta-feira (23) e está no quarto dia.

Neste sábado (26), o Sindicato dos Revendedores de Derivados de Petróleo do Acre (Sindepac) informou que ao menos 59 postos já estão desabastecidos. As cargas de combustíveis foram estacionadas em uma área às margem da BR-364.

Carretas com combustíveis estão estacionadas em terreno na margem de rodovia (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

Carretas com combustíveis estão estacionadas em terreno na margem de rodovia (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC) informou também neste sábado que não havia necessidade de uma ação mais enérgica porque a paralisação no estado é considerada pacífica e não obstruía vias, apenas parava os caminhões, impedindo a distribuição de cargas.

Dois voos foram cancelados no aeroporto de Rio Branco por causa da falta de combustível de aviação, informou a companhia aérea Latam neste sábado (26). A companhia sugere aos passageiros que liguem antes de ir para o aeroporto para saber se seu voo foi cancelado ou atrasado.

A Gol informou ao G1 que os três voos previstos para esse sábado (26) estão confirmados.

Representantes comerciais estiveram na BR-364 para declarar apoio a greve dos caminhoneiros (Foto: Arquivo pessoal )

Representantes comerciais estiveram na BR-364 para declarar apoio a greve dos caminhoneiros (Foto: Arquivo pessoal )

Outros serviços

O diretor da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans), Gabriel Forneck, afirmou que a frota de ônibus segue operando normalmente neste sábado (26). Segundo ele, aos finais de semana, a frota já é reduzida, então, não houve alteração.

O diretor do Central de Abastecimento de Rio Branco (Ceasa), Janderson Rodrigues, afirmou que o abastecimento segue normal neste sábado. De acordo com ele, quatro caminhões carregados de frutas e outros produtos chegaram de outros estados.

O dono de uma mercearia em Rio Branco, que preferiu não ter o nome revelado, informou que só tem mercadoria garantida até segunda-feira (28). Segundo ele, a partir da próxima semana, se a paralisação dos caminhoneiros continuar, pode faltar água, gás, carne e outros produtos.

Paralisação dos caminhoneiros deixa ao menos 59 postos sem gasolina em Rio Branco (Foto: Dayane Leite/Rede Amazônica Acre )

Paralisação dos caminhoneiros deixa ao menos 59 postos sem gasolina em Rio Branco (Foto: Dayane Leite/Rede Amazônica Acre )

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS