Rio Branco,

aaa

No Acre, caminhoneiros liberam passagem de caminhões com combustíveis, gás e cargas perecíveis após acordo com a PRF

Por Guilherme Barbosa e Janine Brasil, G1 AC, Rio Branco

Carretas carregadas de combustíveis, gás de cozinha e as que têm produtos considerados ‘perigosos’, além das cargas perecíveis estão sendo liberadas.

- Publicidade-

pós um acordo com a Polícia Rodoviária Federal do Acre (PRF-AC), os caminhoneiros liberaram, neste domingo (27), as carretas que estavam carregadas de combustíveis, gás de cozinha e os que têm produtos considerados perigosos, além das cargas perecíveis.

“Conversamos com os caminhoneiros e mostramos a importância de tirar esses caminhões com produtos perigosos e explicamos o pode acontecer se, por ventura, um caminhão desse vir a incendiar ou explodir. A responsabilidade que eles [caminhoneiros] estão tendo”, disse o superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Acre, Cézar Henrique.

Políia Rodoviária Federal escolta caminhões no Acre (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

A Políia Rodoviária Federal escolta caminhões no Acre (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

O superintendente falou ainda que a PRF-AC está escoltando todos esses caminhões para os locais onde devem ser descarregadas as cargas.

“A trafegabilidade das rodovias está normal, eles [caminhoneiros saíram das vias e estão nos pátios, então, a gente compreende a colaboração deles. A PRF-AC está aqui para manter a ordem e a segurança de todos”, complementou.

Henrique falou ainda que polícia não está proibindo a manifestação, desde que as cargas consideradas “perigosas” sejam liberadas.

“Aqueles motoristas que não querem participar do movimento não são obrigados a ficar. Os que estão aqui tentam convencer os que chegam, mas fica quem quiser. Se o motorista quiser participar da greve ele pode ficar sozinho, mas o caminhão dele não vai poder ficar aqui. A gente fez essa colocação para os caminhoneiros, porque a maioria deles não trabalha com esse tipo de transporte”, acrescentou.

Cargas consideradas "perigosas" foram liberadas no Acre (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

Cargas consideradas “perigosas” foram liberadas no Acre (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

Os caminhoneiros que estão protestando no Acre retiraram, neste domingo (27), os caminhões do acostamento da BR-364, em Rio Branco. Os veículos foram estacionados em campos paralelos às rodovias, porém, o “bloqueio” parcial permanece.

Além da da BR-364, o Sindicato dos Caminhoneiros e Máquinas Pesadas informou que a BR-317 e a entrada da Estrada Transacreana também continuam bloqueadas. Mesmo após a autorização do presidente Michel Temer para o uso das Forças Armadas para desbloquear as rodovias, os grevistas no Acre informaram que vão manter o bloqueio parcial.

Ainda neste domingo (27), o Governo do Acre anunciou que reduziu a circulação da frota de veículos administrativos por prevenção devido ao bloqueio nas rodovias. A gestão estadual afirmou que vai dar prioridade para as viaturas que prestam serviço de saúde como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Caminhões estão sendo liberados aos poucos (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

Caminhões estão sendo liberados aos poucos (Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica Acre)

Reunião com a PF

A Polícia Federal convocou alguns líderes dos caminhoneiros do Acre para depor devido à paralisação da categoria no estado.

A PF quer investigar se os empresários de algum setor estão contribuindo, incentivando e até orientado a paralisação de seus empregados – configurando, assim, uma greve liderada pelos patrões, o que é proibido por lei. Essa prática é conhecida como locaute.

O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros, Júlio Farias, garantiu que o movimento não está sendo incentivado por nenhum caminhoneiro. “Queriam saber se tinha alguém por trás do movimento, mas é da categoria. A gente não aguenta mais pagar imposto”, disse.

Segurança, saúde, transporte e combustível

A Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp-AC), informou que os serviços não foram afetados e seguem com as operações que já estavam planejadas.

A Sesacre disse ainda que os hospitais seguem funcionando normalmente, mas que já estabeleceu medidas preventidas junto ao Governo do Acre para evitar qualquer desabastecimento.

O mesmo foi informado pela Superintendência de Transportes de Rio Branco (RBTrans). Conforme o órgão, toda a frota está atuando neste domingo (27). Porém, segue a medida preventiva para reforçar o estoque de combustíveis das empresas que prestam o serviço de transporte público. Segundo a RBTrans, aos finais de semana, a frota já é reduzida, então, não houve alteração.

No sábado (26), o Sindicato dos Revendedores de Derivados de Petróleo do Acre (Sindepac) informou que ao menos 59 postos já estavam desabastecidos. As cargas de combustíveis foram estacionadas em uma área às margem da BR-364. Ao G1, neste domingo (27), o Sindepac informou que alguns postos foram reabastecidos, mas não soube informar quantos e nem se houve fila de carros para abastecer.

A companhia aérea Latam garantiu, neste domingo (27), que todos os voos estão mantidos no momento e que vai informar quaisquer novas atualizações. A companhia sugere aos passageiros que liguem antes de ir para o aeroporto para saber se o voo foi cancelado ou atrasado. A Gol informou ao G1 que os voos previstos para esse domingo (27) estão todos confirmados.

No sábado (26), o sindicato informou que a paralisação dos caminhoneiros tinha deixado ao menos 59 postos sem gasolina em Rio Branco (Foto: Dayane Leite/Rede Amazônica Acre )

No sábado (26), o sindicato informou que a paralisação dos caminhoneiros tinha deixado ao menos 59 postos sem gasolina em Rio Branco (Foto: Dayane Leite/Rede Amazônica Acre )

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS