Rio Branco,

aaa

Acre é um dos cinco estados com a maior taxa de mortos pela polícia do país, aponta levantamento

Por Aline Nascimento, G1 AC, Rio Branco

Estado tem taxa média de 4,5 mortes para cada 100 mil habitantes. Segurança Pública diz que tem a polícia mais honesta do Brasil e que policiais usam a força e armas de fogo em últimas circunstâncias.

- Publicidade-

O Acre é um dos estados que aparecem no topo do ranking de pessoas mortas em intervenções policiais no Brasil. O dado faz parte de um levantamento feito pelo G1. Foram 37 mortes em 2017 no estado acreano, o que representa um aumento de 48% em relação ao ano anterior, quando foram contabilizadas 25 mortes.

Os dados mostram ainda que a taxa de mortes nessa situação é de 4,5 a cada 100 mil habitantes no estado, enquanto a média nacional é de 2,4.

No Brasil, 5.012 pessoas morreram durante as abordagens de policiais ano passado. O número também é maior do ano anterior, que registrou 4.222 mortes. Os dados divulgados foram adquiridos pelo G1 através da Lei de Acesso à Informação e assessorias do estado.

O secretário de Segurança Pública do Acre, Wanderley Thomas, afirmou que o estado acreano tem a polícia mais honesta do país, que sempre visa a negociação e o respeito aos Direitos Humanos. Além disso, a polícia usa padrões internacionais durante as abordagens com uso diferenciado da força e do emprego da arma de fogo como último requisito no enfrentamento.

“A atuação dos nossos policiais é pautada sempre dentro do princípio da legalidade e da necessidade. O uso da força e da arma é sempre em último caso, isso é uma doutrina chamada uso progressiva da força”, argumentou.

Nos casos em que há vítimas em alguma ação da polícia, Thomas disse que é instaurado procedimento nas corregedorias para apurar se houve excesso por parte da equipe.

“Além disso, nossos órgãos de controle interno, Ministério Público e o próprio Poder Judiciário, acompanham nossas ações. Em todos os casos, quando há vítimas do enfrentamento com as forças policiais, se instaura o inquérito e quando for o caso, quando é constato algum excesso, são instaurados os procedimentos administrativos”, complementou.

Um dos casos presentes no levantamento ocorreu em novembro do ano passado. Otávio Barbosa Lindoso, de 31 anos, e o comparsa dele morreram após serem atropelados por uma viatura policial. O caso ocorreu na Avenida Getúlio Vargas, em Rio Branco.

Na época, a polícia explicou que a dupla tinha tentando roubar uma motocicleta, mas o proprietário do veículo arrancou e fugiu. Policiais que estavam em patrulha na Rua Rui Barbosa viram os suspeitos passando em alta velocidade e avançando sinais vermelhos.

A dupla seguiu pela Avenida Ceará e a viatura iniciou a perseguição. Ainda segundo o relato policial, o motorista da viatura não teve como desviar da dupla que colidiu contra um poste e foi arremessada.

Viatura capotou com três policiais dentro na Via Verde, em Rio Branco (Foto: Aline Nascimento/G1)

Viatura capotou com três policiais dentro na Via Verde, em Rio Branco (Foto: Aline Nascimento/G1)

Policiais mortos

O levantamento aponta ainda que dois policiais foram vítimas seja em serviço ou quando estavam de folga. O número é o mesmo registrado em 2016. Ao todo, 385 policiais foram mortos em 2017, seja durante intervenções policiais ou nas folgas.

Um dos policiais que morreu enquanto estava em serviço foi o cabo Alelceny Costa da Silva. Ele ficou preso às ferragens da viatura durante um acidente de trânsito, em julho do ano passado. Silva era o motorista do veículo e a equipe ia atender uma ocorrência no bairro Jequitibá.

Silva chegou a ser socorrido, mas em estado gravíssimo, e levado para o hospital. A Polícia Militar do Acre (PM-AC) fez uma mobilização entre a tropa para doarem sangue para o policial, que não resistiu os ferimentos e morreu horas depois.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS