Connect with us

política

Espaço para transferência de Lula existe e está pronto

Publicado

em

O ex-presidente se entregou à Polícia Federal no dia 7 deste mês, em São Bernardo do Campo

ex-presidente Lula completou neste sábado (14) uma semana preso na carceragem da Polícia Federal de Curitiba. O tempo foi suficiente para virar de ponta cabeça a rotina do departamento policial e seu entorno pela presença de imprensa nacional e estrangeira, de grupos de manifestantes a favor de sua prisão e acampamento de movimentos que pedem a sua libertação.

A brusca interferência na rotina do local fez com que policiais procurassem o juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato, para pedir que Lula fosse transferido para outra prisão, de preferência fora do perímetro urbano. Moro, segundo a Folha apurou, manifestou disposição em deixá-lo onde está por mais um tempo. Mas uma mudança não está descartada.

Se policiais federais não querem Lula por perto, o diretor do Depen [Departamento Penitenciário do Paraná] diz que está pronto para receber o ex-presidente. Luiz Alberto Cartaxo Moura afirmou que já tem lugar reservado para o petista no Complexo Médico Penal de Pinhais, presídio que desde março de 2015 acomoda presos da Lava Jato. “O espaço para ele está pronto”, diz. Hoje a sexta galeria do presídio abriga 13 detentos enviados para lá por Sergio Moro.

Há condições de acomodar o ex-presidente Lula no Complexo Médico Penal?

Sem problemas. O espaço para ele está pronto. Isso existe. Ele terá prerrogativas de ex-presidente. Ele pode optar pelo convívio ou pelo não convívio [com outros presos], porque não sabemos as consequências das inimizades que ele possa ter lá dentro. Então se ele quiser ficar isolado ou se quiser ter um ou dois companheiros de cela é possível também. Quem vai decidir isso [ficar sozinho ou com outros presos] é ele e a defesa dele.Na Polícia Federal ele não tem possibilidade de estudar, possibilidade de trabalhar, possibilidade de ter remissão pela leitura [abatimento de dias de pena a cada livro lido]. A área que ele ficaria seria absolutamente segura.

Seria a sexta galeria?

Tem uma outra opção, próxima [da sexta galeria]. Um espaço que existe lá há algum tempo e está desativado. Mandei reativar, está pronto. Se for necessário, será utilizado. O que me preocupa na decisão de uma remoção dele é o ambiente externo. Se eu tiver cobertura da Polícia Militar na área externa, não tem com o que me preocupar.Aqui em Curitiba as nossas unidades militares estão em áreas residenciais. O mesmo problema que foi gerado na Polícia Federal [acampamento] irá ser gerado na frente dos quartéis se fosse conveniente mandá-lo para uma unidade militar. O Complexo Médico Penal passa a ser uma opção viável para evitar esse tipo de problema, porque está dentro do mato e há possibilidade de realizar um bloqueio e acomodar os movimentos sociais sem qualquer tipo de problema, desde que haja cobertura da Polícia Militar para isso.

O senhor já foi procurado sobre esse assunto?

Já. Recebi uma consulta da Secretaria de Segurança hoje [quinta, dia 12] se seria possível custodiá-lo e eu falei que sim. Estou aguardando a decisão do juiz. O Sergio Moro vai precisar dele para outras audiências, porque tem pelo menos mais dois processos em andamento. Tem o do apartamento de São Bernardo e tem o do sítio [de Atibaia] também.

Desde quando o Depen se prepara para receber Lula?

Desde quando começaram os julgamentos no Supremo a respeito do assunto, a gente tinha que estar preparado e nós tomamos providências práticas internas lá no CMP. Começamos a reservar um espaço que tem que ser separado dos demais, salvo se ele quiser ir para o convívio normal.

Como é a sala reservada?

É uma sala sete de por quatro metros, cama, banheiro, mesa, cadeira, janela externa, coisa que ele não está tendo na Polícia Federal.

Houve dificuldade de adaptação da cadeia em relação aos presos da Lava Jato, em 2015?

Não houve dificuldade de adaptação porque eles são mais fáceis de lidar. É muito pior você lidar com um líder do PCC do que com o presidente da República. O Lula é um santo perto de um cara desses. O Cunha é um anjo perto de um cara desses. Ele não tem potencial de violência, não gera preocupação. A preocupação que gera para nós é com cuidados em relação ao tratamento. Nem tanto mar, nem tanto a terra. Eu não posso permitir regalias em hipótese alguma, mas ao mesmo tempo eles são presos especiais que requerem outros cuidados por conta desta condição. Eu não posso permitir que haja uma falha de segurança e a gente perca um preso desses, por exemplo. Seja por alguém matar ou se o preso fugir, eu viro notícia internacional.

Quais foram as mudanças?

Nenhuma. As celas foram apenas limpas e pintadas . A comida é a mesma, igual a de todo o sistema. Já havia sistema de banho quente. Sempre foi banho quente, porque é uma unidade médica.

Hoje a sexta galeria abriga que tipo de preso, além dos da Lava Jato?

São presos idosos, cadeirantes, de colarinho branco e cíveis, que são os que ficam devendo pensão alimentícia. Não oferecem riscos.

Houve doações dos presos da Lava Jato para outros presos?

Isso para o CMP inteiro. A sexta galeria é uma galeria limpa, arrumada, tudo em ordem, tudo cheiroso. Não tem cheiro de cadeia porque não se lava roupa lá dentro. Essa roupa úmida que não seca é que dá esse cheiro de cadeia, de bolor. Eles mandam lavar fora. A família leva e traz de volta. O sujeito usa durante a semana quatro camisas, três calças e está resolvido. A roupa íntima, meias e cuecas, eles ainda lavam. Mas lavam e já secam.Eles têm as lideranças lá. Hoje parece que é o Cunha e o André Vargas que dão as cartas e todo mundo obedece e cada um faz o seu papel para ficar tudo limpinho e organizado lá.

Eles se adaptaram?

Eles trouxeram a cultura de uma vida de hotéis cinco estrelas e residências de alto padrão e querem que aquilo se aproxime o máximo possível da realidade deles.

Há diferença ou privilégio na entrada de material ou alimentos para os presos da Lava Jato?

O que diferencia é a qualidade [do que a família leva para o preso]. Bolacha, por exemplo, é permitida a entrada de seis pacotes de bolacha de até 200 gramas por semana. O preso pobre é bolacha Maria. O rico é Bon Gouter. Essa é a diferença. O pobre leva amendoim e o rico leva pistache.

Os presos da Lava Jato adquiriram linguagem ou gestual dos outros presos?

Eles não foram submetidos ao convívio geral. O convívio deles é com eles mesmo, é uma situação bem diferenciada.

Com informações da Folhapress.

Continue lendo

política

Prefeita Socorro Neri recebe visita do prefeito eleito de Porto Maldonado, no Peru

Publicado

em

Da Assessoria de Imprensa PMRB

A prefeita Socorro Neri recebeu na manhã desta terça-feira, 11, a visita do prefeito eleito de Porto Maldonado, Francisco Keler Rengifo Khan. Porto Maldonado é a capital do Departamento de Madre de Dios, no Peru, e a visita de Rengifo teve caráter institucional.

A prefeita agradeceu a visita e destacou os laços de amizade que unem Madre de Dios e Acre. Khan presentou a prefeita com uma réplica da lhama, animal andino que é um dos símbolos do Peru. Uma das metas de Reginfo é ampliar o turismo em sua região.

Continue lendo

política

Prefeitura de Rio Branco e OAB Acre promovem evento em alusão à Declaração Universal Dos Direitos Humanos

Publicado

em

Da Assessoria de Imprensa PMRB

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, e o presidente da Seccional Acre da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos Vinícius Jardim, vão realizar nesta terça-feira, dia 11, as 18 horas, no auditório da OAB, evento em alusão aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Na ocasião, a prefeita Socorro Neri vai assinar o Decreto de criação da Comissão Municipal para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) com a finalidade de internalizar, difundir e dar transparência ao processo de implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas no município de Rio Branco. A Comissão é instância colegiada paritária, de natureza consultiva, integrante da estrutura da Secretaria Municipal de Planejamento para articulação, mobilização e diálogo com os organismos municipais e a sociedade civil.

À Comissão compete identificar, sistematizar e divulgar boas práticas e iniciativas que colaborem para o alcance dos ODS, propor estratégias, instrumentos e ações para implementação dos ODS, promover a articulação com órgãos privados e entidades públicas de todas as esferas para a disseminação e a implementação dos ODS, acompanhar e monitorar o desenvolvimento dos ODS e elaborar relatórios periódicos.

Também faz parte da programação na sede da OAB, palestra do professor Guilherme Almeida sobre os avanços e desafios da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ele fará sessão de autógrafo de seu livro “A proteção da pessoa humana no direito internacional”.

Declaração Universal Dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) é um documento marco na história dos direitos humanos. Elaborada por representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo, a Declaração foi proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, em 10 de dezembro de 1948, por meio da Resolução 217 A (III) da Assembleia Geral como uma norma comum a ser alcançada por todos os povos e nações.

Continue lendo

política

Deputados Manuel Marcos e Doutora Juliana, são acusados de desviar R$ 1,5 milhão do Fundo Eleitoral, através de “laranjas”

Publicado

em

Da Redação Ecos da Notícia/com informações AC 24 horas

De acordo com a Polícia Federal, os deputados eleitos Manuel Marcos e Doutora Juliana Rodrigues, ambos do PRB, principais alvos da Operação Santinhos, deflagrada nesta terça-feira (11), pela Polícia Federal, no Acre e Amazonas, juntos teriam desviado R$ 1,5 milhão do Fundo Especial de Financiamento de Campanha.

Para a efetivação dos desvios, os dois deputados usaram uma empresa laranja, em nome de Thaisson de Souza Maciel. Que seria servidor da Secretaria de Pequenos Negócios – SEPN, o laranja em questão realizou dezenas de saques em dinheiro. Em um único dia, após 12 saques que somaram R$ 420 mil.

A Polícia Federal também descobriu que Thaisson seria o homem de confiança do então vereador Manoel Marcos e foi nomeado 60 dias antes da eleição, através de decreto assino pelo governador Sebastião Viana, que também será chamado como testemunha do caso investigado já que no mesmo período a mulher de Thaisson Miriam Maciel, foi nomeada e lotada na Secretaria de Estadual de Saúde.

Como funcionava o esquema

Segundo a polícia, a empresa de fachada emitia notas frias de prestações de serviços fictícios, em um desses serviços que não ocorreram, foi emitida uma nota de confecção de 18 milhões de santinhos, para um estado de 500 mil eleitores, esse valor de acordo com a Polícia Federal é 34 vezes o número de eleitores.

No decorrer da Operação foram cumpridos mandados de busca na Câmara Municipal, Assembleia Legislativa, e em outros órgãos públicos. Gabinetes dos políticos também são alvo.

Governador Sebastião Viana e secretários são intimados

Diante das nomeações dos cargos comissionados, feitas exclusivamente pelo governador Sebastião Viana, e publicadas no Diário Oficial, a Polícia Federal intimou o governador e os secretários da Saúde e de Pequenos Negócios, Rui Arruda e Oscar Sérgio para prestar esclarecimentos.

Segundo a Polícia Federal, o objetivo é saber por que os dois investigados foram nomeados semanas antes das eleições e entender se alguém mais sabia das estratégias políticas do grupo do PRB. “O objetivo é esclarecer os motivos dessas nomeações feitas pelo governador para as secretarias”, esclarece o delegado Eduardo Maneta.

 

Continue lendo

Veja também

Mais lidas

Portal de notícias do Acre | Diretor e Redator - Lenilda Cavalcante FENAJ 084 | Copyright © 2006-2018 ECOS DA NOTÍCIA - Todos os direitos reservados.