Connect with us

geral

Aos 99 anos, artista faz exposição de pinturas e conta segredo de longevidade: ‘fórmula é ter paciência e dar valor ao que faz’

Publicado

em

‘Sou louca por arte. Gosto de fazer bem feito, perfeito e sem nenhum defeito’, diz. Quadros retratam cidades acreanas, paisagens, animais e muito verde.

A arte está presente desde muito cedo na vida de Elais Meira Eluan, de 99 anos. Mas antes de se dedicar exclusivamente à pintura, Elais foi professora e diretora em uma tradicional escola pública de Rio Branco, o Colégio Acreano.

Para receber a equipe da Rede Amazônica em casa, dona Elais estava impecável: sobrancelhas bem feitas, batom vermelho, colares no pescoço e um laço na cabeça. Mesmo aos 99 anos, continua exigente não só com a própria aparência, mas também com o resultado do seu trabalho.

“Sou louca por arte. Gosto de fazer bem feito, perfeito e sem nenhum defeito”, diz.

Além da paisão pela pintura, artista também toca piano (Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre)

Além da paisão pela pintura, artista também toca piano (Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre)

A artista plástica Elais nasceu em 22 de maio de 1918. Ela descobriu a paixão pela pintura quando ainda morava num internato em Manaus no ano de 1930. Lá, ela aprendeu a bordar, a caligrafar, tocar piano e até fazer desenhos arquitetônicos e cartográficos. Quando retornou ao Acre, recebeu a missão de desenhar o primeiro mapa do estado.

Ela é quase uma centenária no mundo das artes plásticas. Dona Elais já perdeu as contas de quantos quadros pintou na vida.

“Dá muito trabalho, porque tem que saber fazer e escolher a qualidade da tinta. Então, não é tão fácil. Tem que ter qualidade também e saber derreter a tinta”, explicou a artista.

Obras estão expostas no salão no salão de exposições da Justiça Federal em Rio Branco  (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Obras estão expostas no salão no salão de exposições da Justiça Federal em Rio Branco (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Na sala onde repousa durante o dia ela expôs algumas de suas obras. Entre elas uma chama atenção. É a história de um quadro de vitórias-régias.

“Esse quadro aí foi descoberto por um inglês. Porque nesse tempo no Brasil, vinha o pessoal da Europa para pesquisar as coisas. Então, quando ele chegou nas matas, que olhou, tinha um bocado de flores e ele se admirou demais, tirou um retrato das flores e não sabia o nome e chamou de Rainha Vitória. Em homenagem à rainha Vitória da Inglaterra”, contou a idosa.

Aos 99 anos, artista plástica expõe obras em salão da Justiça Federal no Acre

Aos 99 anos, artista plástica expõe obras em salão da Justiça Federal no Acre

Elais Meira completa 100 anos em maio. Além de ser uma grande artista plástica, ela domina também as teclas do piano.

Desde novinha, ela se destacou como musicista em concertos ao vivo na Difusora Acreana. E com a mesma maestria e a delicadeza do passado ela toca o que mais gosta: tango argentino.

E quando questionada sobre qual o segredo para chegar quase aos cem anos com tanta disposição, ela é categórica: “A fórmula é ter paciência e dar valor ao que faz”, enfatiza.

Exposição dos quadros

É no salão de exposições da Justiça Federal em Rio Branco que as obras da artista plástica estão expostas. Cada um dos quadros tem uma história a ser contada. Nas pinturas são retratadas algumas cidades acreanas, paisagens, animais e muito verde.

O presidente da associação dos Artistas plásticos do Acre, Glicério Gomes conta com orgulho como é participar desse momento na vida da artista.

Aos 99 anos, artista plástica expõe obras em salão da Justiça Federal no Acre (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Aos 99 anos, artista plástica expõe obras em salão da Justiça Federal no Acre (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

“É um privilégio para mim participar desse trabalho. Estou fazendo essa curadoria do trabalho com ela e mostrando. Isso pode, com certeza, ressuscitar novos artistas que nem sabem que são artista, está adormecido dentro deles”, afirmou Gomes.

Continue lendo

geral

Em Rio Branco, 14 casais homoafetivos oficializam união em casamento coletivo

Publicado

em

Por Aline Nascimento/Lilian Lima, G1 AC

Cerimônia ocorreu nesta segunda (10), no Palácio do Comércio, na capital acreana. Projeto Casar é Legal, da Defensoria, está na segunda edição.

Catorze casais homoafetivos oficializaram a união durante o casamento coletivo realizado no Afa Jardim, em Rio Branco. A cerimônia ocorre no mesmo dia do aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrado nesta segunda-feira (10), e é parte da segunda edição do projeto Casar é Legal, da Defensoria Pública do Acre (DPE).

Pádua Custódio, de 27 anos, e Adailton Gadelha, de 29, não tiravam o sorriso do rosto durante a cerimônia. Os jovens contaram que os dois tinham interesse em outro rapaz, mas se apaixonaram e resolveram dar uma chance ao amor após um tempo de conversa.

“Não foi amor à primeira vista. Tínhamos interesse por outro rapaz, e no dia que nos conhecemos foi muito imprevisível porque eu tinha convidado o rapaz para algo e ele tinha convidado o mesmo rapaz para outra coisa. Ele era um amigo nosso na época. Quando ele foi me encontrar foi junto com o Adailton, e quando o vi me interessei mais por ele do que pelo outro rapaz”, contou Custódio.

O rapaz revelou ainda que o casal decidiu oficializar a união para garantir os direitos, caso o país passe por mudanças com a nova presidência.

“Decidimos oficializar devido as atuais circunstâncias nacionais. Com a advento da mudança do governo da Presidência não sabemos como vai ficar o futuro do país. Isso é uma realidade e que nos angustia. Esperamos que seja positivo, mas infelizmente não podemos arriscar. Quando soubemos da possibilidade que a Defensoria estava oferecendo achamos que seria um bom momento, até porque já pensávamos em casar há muito tempo”, argumentou.

Pádua Custódio (esq.) e Adailton Gadelha oficializaram a união nesta segunda (10) — Foto: Lilian Lima/Rede Amazônia Acre

O casal está junto há sete anos, sendo que há quatro moram sob o mesmo teto. Adailton Gadelha comentou sobre a vida a dois e como driblam as divergências e brigas.

“Temos nossas brigas de vez em quando, mas a gente consegue contornar tudo isso, conversamos bastante e o amor prevalece sempre. Isso garante os direitos e todas as questões legais. Isso é muito importante. Nossa sociedade é tão intolerante e temos a possibilidade de mostrar que nosso amor é lindo e vale a pena ser vivido”, confirmou.

Amanda Schumacher e Mayara Rio Branco moram juntas há nove anos e nesta segunda (10) casaram no Projeto Casar é Legal — Foto: Lilan Lima/Rede Amazônica Acre

Amanda Schumacher, de 36 anos, e Mayara Rio Branco, 34, começaram dividindo o mesmo teto, apenas como amigas. Com o tempo, as duas se apaixonaram e, após nove anos juntas, resolveram oficializar a união.

“Eu cheguei de São Paulo e fui procurar uma casa para morar. A Mayara também estava procurando uma casa para morar e tínhamos uma amiga em comum. Alugamos uma casa juntas e começamos a conviver e nos apaixonamos. Um dia resolvemos fazer uma mudança de um quarto para o outro”, celebrou Amanda.

O presidente do Fórum de ONGs LGBTI, Germano Marino, relembrou que é um direito dos casais homoafetivos oficializarem a união em qualquer cartório de Rio Branco. Porém, comemorou a ideia da DPE de promover o evento que não cobra taxa e facilita a celebração entre os casais.

“Esse projeto da Defensoria mostra que os cidadãos homossexuais do Acre têm o direito de realizar o casamento civil, ainda é um direito constitucional garantido pelo STF e Conselho Nacional de Justiça, e a Defensoria vem proclamar isso. Ainda mais nesse dia tão especial que é o da Declaração Universal de Direitos Humanos”, comemorou.

Festa celebrou a união de 14 casais homoafetivos — Foto: Lilan Lima/Rede Amazônica Acre

Continue lendo

geral

Vencedores dos jogos interatléticas são premiados

Publicado

em

Da Assessoria de Imprensa UFAC

A cerimônia de entrega dos troféus para os campeões da edição-2018 dos Jogos Internos das Associações Atléticas dos Cursos da Ufac foi realizada na noite dessa segunda-feira, 10, pela Universidade Federal do Acre (Ufac), por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proex), no anfiteatro Garibaldi Brasil.

 

De acordo com o vice-reitor da Ufac, Josimar Batista, foram investidos mais de R$ 40 mil na realização dos jogos interatléticas. “Entendemos que esse é um momento importante da nossa universidade”, disse. “É um momento de confraternização entre diferentes cursos, que enriquece e aproxima os alunos.”

 

Lista dos premiados

 

Continue lendo

geral

Pista de atletismo da Ufac está em final de construção

Publicado

em

Assessoria da UFAC

A última fase da obra de construção da pista de atletismo de alta performance da Universidade Federal do Acre (Ufac) começou no domingo, 9. Nessa etapa, os operários estão colando o piso sintético das raias, importado da Itália, trabalho que deve durar cerca de 25 dias.  Na sexta-feira, 8, a reitora Guida Aquino, o vice-reitor Josimar batista e o pró-reitor de Planejamento, Alexandre Hid, vistoriaram a obra.

A pista tem oito raias de 400 metros cada. Todo o complexo esportivo possui 6,3 mil metros quadrados, com espaço para modalidades esportivas como corrida, salto com vara, salto triplo e extensão, lançamento de peso, lançamento de dardo e salto em altura.

Além disso, o projeto prevê urbanização, iluminação, alambrado e equipamentos completos para atender a necessidade da prática profissional de atletismo. “A pista estará apta a buscar a certificação internacional Classe 2 da Associação Internacional das Federações de Atletismo”, lembrou Guida.

O espaço, que está sendo construído próximo ao bloco do curso de Educação Física, será o primeiro do Acre a obedecer aos padrões internacionais, respeitando as marcações oficiais recomendadas pela Confederação Brasileira de Atletismo.

O investimento para a construção da pista de atletismo é fruto de um convênio da instituição com o Ministério do Esporte, que garantiu o montante de R$ 11 milhões para execução da obra.

Continue lendo

Veja também

Mais lidas

Portal de notícias do Acre | Diretor e Redator - Lenilda Cavalcante FENAJ 084 | Copyright © 2006-2018 ECOS DA NOTÍCIA - Todos os direitos reservados.