Siga-nos

Aguarde processando...

X

Polícia incinera quase 300 quilos de drogas apreendidos em dois anos em Rio Branco

G1

Entorpecentes foram apreendidos em operações da DRE em 2016 e 2017 na capital acreana. Incineração ocorreu na manhã desta sexta (12) na Rodovia Transacreana.

A Polícia Civil incinerou quase 300 quilos de drogas apreendidos em dois anos em Rio Branco. A ação, que ocorreu na manhã desta sexta-feira (12), na Rodovia Transacreana, é resultado de operações da Delegacia de Repreensão a Entorpecentes (DRE) feitas nos anos de 2016 e 2017.

Ao todo, foram incinerados aproximadamente 110 quilos de maconha e 190 de cocaína. Representantes da Vara de Delitos de Drogas, Ministério Público do Acre (MP-AC) e da Polícia Civil estiveram no local para falar sobre a ação.

“Ainda temos um quantitativo a ser incinerado, mas isso já representa uma boa quantidade apreendida nestes dois anos através de inúmeras apreensões”, explicou o secretário adjunto da Polícia Civil, Josemar Portes.

O coordenador da DRE, delegado Pedro Resende, contou que parte da droga incinerada é de origem estrangeira e veio para o Acre pela fronteira. Ele disse também que o entorpecente totaliza uma média de 500 procedimentos.

“Vale ressaltar que não é toda droga que está sendo incinerada, só a que foi autorizada pela Justiça. É um trabalho da Polícia Civil, que na época era capitaneado pelo delegado Fabrizzio Sobreira e hoje a gente termina todo ciclo da apreensão da droga, que é desde a prisão até a incineração. A DRE continua o trabalho no sentido de proteger o estado contra a entrada de drogas provenientes de outros países e estados”, falou.

A titular da Vara de Delitos e Drogas do Tribunal de Justiça do Acre, juíza Maria Rosinete, ressaltou que a incineração é importante para que as drogas apreendidas não fiquem guardadas nas delegacias. Ela acrescentou ainda que o procedimento está previsto na lei.

“Uma espécie de segurança e não há nenhum tipo de prejuízo a cada processo, porque os laudos estão devidamente elaborados e as amostras inseridas nos autos. Então, é desnecessário ficar essa quantidade de droga apreendida em delegacias. Fazemos esse procedimento de forma rotineira sempre que há determinada quantidade de drogas para fazer”, concluiu.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.