Rio Branco,

Sinhasique comemora sucesso de projeto que leva jiu-jitsu para crianças carentes

Por Ravenna Nogueira

Seis crianças do projeto conquistaram medalhas no Campeonato Estadual de Rondônia

Publicidade

A deputada estadual Eliane Sinhasique (PMDB) comemorou na manhã, desta segunda-feira (11), o sucesso do Projeto “Pequeno Samurai”, que ela, em parceria com a Academia Valter Combate, promove com crianças carentes da regional Tancredo Neves. O projeto leva aulas de jiu-jitsu para crianças e jovens com idades entre 5 a 17 anos.

Seis crianças do projeto participaram nesse final de semana do Campeonato Estadual de Rondônia e todos retornaram com medalhas. Carlos Eduardo, com apenas 5 anos de idade, participou pela primeira vez de um campeonato fora do seu Estado e ganhou medalha de ouro na categoria pena mirim, de 17 a 20 kg.

“Fiquei muito feliz com o resultado. Acreditei que podia ganhar, pois o mestre Valter dizia que eu tinha chances. Quero continuar lutando”, disse Carlos Eduardo.

A mãe dele, Kateruce Felícia, declarou que ficou emocionada com o resultado, pois o filho está há apenas 1 mês no projeto. Segundo ela, o jiu-jitsu ajudou no desenvolvimento da criança. “Ele faz tratamento com fonoaudióloga. Depois do jiu-jitsu está falando muito melhor e até um problema que tinha no joelho, melhorou”.

Moradora do bairro Jorge Lavocat, Kateruce reconhece que o projeto tem transformado a vida de muitas pessoas da comunidade. “Nossa comunidade é muito carente. Eu tenho 4 filhos, dois deles estão no projeto, eu jamais teria condições de colocá-los numa escola de lutas. Só tenho a agradecer ao Mestre Valter e a deputada Eliane Sinhasique”.

Pequeno Samurai

O projeto teve início há 8 meses na Associação dos Moradores do Bairro Tancredo Neves. Já são 70 crianças e jovens envolvidos. As aulas acontecem 3 vezes na semana (segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira), das 17h às 18h.

A deputada Eliane Sinhasique acredita que a inserção do esporte na vida dessas crianças e jovens excluídos cria uma perspectiva de futuro melhor.

“É gratificante ver o nosso trabalho trazendo os primeiros resultados. Iniciamos essa atividade numa das regionais mais periféricas e pobres da capital acreditando que através das artes marciais essas crianças teriam um futuro melhor, se envolveriam no esporte e não entrariam no mundo da criminalidade”.

O atleta e instrutor do projeto Valter Silva concorda com Eliane e acrescenta que o esporte está sendo fortalecido. “Esse projeto é um incentivo ao esporte e à educação. Temos crianças muito humildes que tomam gosto pelo esporte e passam longe do caminho das drogas”.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade