Siga-nos

Aguarde processando...

X
Loading...

Estudante de 14 anos morta a facadas foi vítima de ‘emboscada’, diz delegado; três são detidos

G1

Polícia acredita na participação de outras pessoas; adolescente teria sido morta por passar informações a uma facção rival, diz delegado.

Três pessoas foram detidas por envolvimento no assassinato da estudante de 14 anos, Auine Lima, nesta terça-feira (5). A adolescente foi encontrada morta com 16 facadas no último domingo (3), no bairro Aeroporto Velho, em Cruzeiro do Sul. A polícia suspeita que outras pessoas tenham participado do crime e diz que a jovem foi vítima de uma ‘emboscada’.

Foram detidos uma jovem de 19 anos e uma adolescente de 14 anos, que confessaram o crime, além um outro menor de 15 anos. Eles prestaram depoimento na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam).

O delegado Luis Tonini afirma que a adolescente não desapareceu no caminho de casa, como a família acreditava inicialmente. Segundo ele, a menor estava na companhia de uma a prima e o namorado dela [prima] e juntos foram para um igarapé no bairro São José. Lá, a menor encontrou outros jovens e foi levada por eles até uma casa em construção no bairro Aeroporto Velho, onde foi morta.

Há ainda suspeita que a prima da adolescente tenha participação na morte. “Ela [prima] provavelmente tem participação e desde o início sabia que a garota não estava desaparecida. Foi ela que levou a Auine para as pessoas que mataram ela. Então, provalmente ela sabia o que ia acontecer. Ela não estava no local, na hora, mas foi ela quem levou a garota para quem a matou”, afirmou o delegado.

A jovem teria sido morta por passar informações para uma facção rival. “Havia a possibilidade de três ou quatro motivações para o crime, algumas pessoas caíram em contradição e foi quando se apontou uma direção. Os adolescentes e essa maior pertencem a uma facção e eles souberam que a Auine conhecia e estaria passando informações para outra facção”, afirma o delegado.

Em depoimento, uma das suspeitas disse que ao ser levada para a casa onde foi morta, a adolescente teria confirmado conhecer pessoas ligadas a uma facção, mas negou que estaria passando informações. Quando tentou ir embora, foi morta.

“Segundo o interrogatório da autora do delito, ela disse que a menina confessou inocentemente que conhecia pessoas da facção, mas que não estava passando informação e que queria ir embora. Nesse momento, ela levou os dois primeiros golpes de faca”, conta Tonini.

Os dois primeiros golpes foram desferidos pela jovem de 19 anos, no peito e no abdômen da vítima. Os outros menores teriam terminado de matar a garota desferindo as outras facadas.

“Lá ela foi ferida com as outras 14 perfurações, a maioria delas superficiais, como se fosse uma forma de torturar a garota, mas conseguimos elucidar esse crime com uma resposta rápida e mostrando que não vamos fechar os olhos para essa banalização da criminalidade”, afirmou.

Ainda segundo o delegado, o assassinato da garota teria sido registrado em vídeo pelos menores, mas deletado logo após. “Esse homicídio pode ter sido uma forma de provar algo dentro da organização criminosa, uma clara emboscada sofrida”, contou.

Entenda o caso

A adolescente Auine Lima, de 14 anos, foi encontrada morta, um dia após a família denunciar seu desaparecimento no último sábado (2). Ela foi morta com pelo menos 16 facadas e um laudo do Instituto Médico Legal não apontou que a jovem tenha sofrido violência sexual.

Em entrevista ao G1, no domingo (3), a mãe da adolescente, Cirlândia Lima, de 32 anos, lembrou que antes de sair de casa a filha pediu a benção. “Quero ver ela, abraçar. A última coisa que falei com minha filha foi lhe dar a benção. Ela pediu e eu respondi: ‘Deus te abençoe e tome cuidado da sua vida’”, relembra a mãe muito emocionada.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.