Rio Branco,

Há dois anos, homem está na lista de espera por cirurgia em hospital de Rio Branco

Por G1

Saúde diz que aparelho está em manutenção, mas problema deve ser solucionado até terça-feira (21). Homem diz que não consegue trabalhar.

Publicidade

Desde 2015 o microempresário João de Oliveira espera por uma cirurgia na bexiga pela rede pública de saúde em Rio Branco. Em meio a tantos papéis, resultados de exames e encaminhamentos médicos, ele vive uma rotina emocionalmente estressante.

Há dois anos, Oliveira foi diagnosticado com cálculo vesical, ureteral e renais. Depois disso, foi encaminhado para cirurgia, que ainda não foi feita.

“Estou desde 2015 com problema na bexiga, com várias pedras. Fiz todos os exames, dei entrada na cirurgia e até agora estou esperando e nada de me chamarem. Vou lá e dizem que estou na lista de espera, e é assim”, reclama.

Tentar a cirurgia e exames pela rede particular de saúde está fora dos planos do microempresário, que está sem trabalhar por conta da complicação na bexiga. Ele conta com ajuda do pai, que é aposentado.

“Minha situação está cada dia pior. Não posso trabalhar, meu pai está me ajudando e preciso da cirurgia para trabalhar. Com saúde, a gente trabalha e eu preciso ser operado o mais rápido possível”, diz.

Ao todo, Oliveira já passou por seis consultas e oito exames. Além de dois riscos cirúrgicos e, caso ele não consiga se operar até fevereiro do próximo ano, terá que fazer outro risco cirúrgico.

“O médico falou que se eu continuar com essas pedras na bexiga isso pode evoluir para câncer, porque minha bexiga está sempre lesionada, sempre urinando sangue e, dependendo do meu esforço diário, começo a urinar sangue durante a noite e eu tento ficar mais tempo parado. Uma pessoa que urina a cada 15 minutos não arruma trabalho em canto nenhum. A pé ou de moto, se eu andar pelo menos 5km de moto já fico urinando sangue. Essa é minha situação”, desabafa.

Em nota ao Jornal do Acre 2ª edição desta segunda-feira (20), a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou que a demora no procedimento se deu porque o equipamento chamado cistoscópio – que analisa a condição da bexiga – está em manutenção.

Garantiu também que até terça-feira (21) o equipamento deve ser entregue e as cirurgias serão retomadas. Oliveira deve ser agendado para a cirurgia o mais rápido possível.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade