Rio Branco,

Após seis dias, técnicos administrativos da Ufac mantém greve por tempo indeterminado

Por G1

Categoria fez panfletagem na manhã desta segunda (20). Trabalhadores são contra a reforma da previdência e pedem cumprimento de acordos firmados em greve de 2015.

Publicidade

Após seis dias, os técnicos administrativos da Universidade Federal do Acre (Ufac) permanecem em greve por tempo indeterminado. Nesta segunda-feira (20), os servidores distribuíram panfletos com informações sobre a paralisação na frente da universidade. A primeira assembleia de greve da categoria está marcada para esta terça (21), às 9h, no Anfiteatro Garibaldi Brasil.

Os trabalhadores decidiram deflagrar a greve no último dia 14 de novembro, após uma assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores do Terceiro Grau do Acre (Sintest-AC). Ainda nesta segunda (20), os servidores se reuniram com a reitoria da Ufac para informar o estado de greve e discutir quais unidades são consideradas essenciais e não devem parar.

“Nessas unidades essenciais vai ter uma redução de pessoal, mas não vai parar. Também vamos discutir sobre cada uma das pautas da categoria. A greve permanece por tempo indeterminado”, afirma Adaildo Lima de Oliveira, um dos representantes do comando de greve local .

Trabalhadores se reuniram com a reitoria da universidade na manhã desta segunda (20) (Foto: Nattércia Damasceno/G1)

Trabalhadores se reuniram com a reitoria da universidade na manhã desta segunda (20) (Foto: Nattércia Damasceno/G1)

Reivindicações

Entre as reivindicações da categoria estão a discussão contrária à nova reforma da Previdência, o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) e acordos firmados durante a greve de 2015 e que ainda não foram cumpridos, como a qualificação do servidor e o fortalecimento do plano de carreira.

A pauta também inclui o aumento da contribuição previdenciária e a reforma administrativa que afeta diretamente os planos de carreira dos servidores públicos, além de uma avaliação que pode tirar a estabilidade do servidor com a exoneração.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade