Siga-nos

Aguarde processando...

X

Acusado de matar desafeto às margens do rio Iaco continua foragido

senaonline

A Polícia Civil, detentora da investigação, confirmou que já conseguiu identificá-lo

Já se passaram oito dias da data do crime e até o presente momento a Polícia de Sena Madureira ainda não conseguiu prender um homem acusado de matar a golpes de terçado o nacional Antônio Rufino da Silva que morava no Bairro Segundo Distrito.

Após consumar os fatos, ele evadiu-se do local e provavelmente encontra-se escondido na zona rural do município, precisamente na região do rio Purus. A Polícia Civil, detentora da investigação, confirmou que já conseguiu identificá-lo. Nesse sentido, o homicida pode ser capturado a qualquer momento. “O caso permanece sendo apurado, no entanto, não iremos divulgar mais detalhes para não atrapalhar nas investigações”, comentou o delegado Marcos Frank.

Outro caso que continua sem solução é a morte de Joéliton de Souza Lira, 25 anos, ocorrida na Rua Avestruz, Bairro Eugênio Areal. Domingo passado ele foi morto com um tiro de escopeta no abdômen. Nesse episódio, especificamente, a identidade do atirador é desconhecida.

AS DUAS MORTES FORAM REGISTRADAS DOMINGO (5 DE NOVEMBRO)

A primeira morte registrada no domingo se deu dentro de uma canoa que estava ancorada às margens do rio Iaco, região do Segundo Distrito de Sena. Antônio da Silva Rufino foi morto com várias terçadadas – uma delas na cabeça. Ele morava na Rua Raul Tamburini, Bairro Niterói (Segundo Distrito). O autor do crime, segundo a Polícia, mora no rio Purus. A motivação do homicídio ainda não foi revelada.

Pela parte da noite o outro homicídio foi registrado, dessa vez na Rua Avestruz, Bairro Eugênio Areal. Joéliton de Souza Lira, 25 anos de idade, foi alvejado por um tiro de escopeta e morreu antes de dá entrada no Pronto Socorro do Hospital João Câncio Fernandes.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.