Siga-nos

Aguarde processando...

X

Mais de 1,5 mil pescadores devem fazer cadastro para receber Seguro Defeso em Cruzeiro do Sul

G1

Sete comunidades ribeirinhas vão ser visitadas. Atendimento está sendo feito nas comunidades, nesta segunda, no bairro Miritizal.

 

Os pescadores que precisam receber o Seguro Defeso já podem fazer o cadastro em Cruzeiro do Sul a partir desta segunda-feira (13). De acordo com o presidente da Colônia de Pescadores do município, Elenildo Souza, mais de 1,5 mil pescadores vão ser atendidos.

“Esse é o primeiro ano em que temos acesso ao sistema do INSS e somos nós que fazemos o cadastro desses pescadores no sistema. Aí fica a cargo do órgão fazer ou não o deferimento”, disse.

O atendimento está sendo feito nas comunidades, nesta segunda, no bairro Miritizal. De acordo com Souza, esse mudança tende a melhorar o acesso do pescador. Sete comunidades vão ser visitadas. “Tendo em vista que antes os pescadores tinham que ir ao INSS e ficar na fila, agora nós vamos na comunidade dando mais agilidade e facilidade nesse atendimento”, explica.

O Seguro Defeso é o período em que a pesca de determinadas espécies fica proibida por causa da época de reprodução – a “piracema”. Devido à proibição, o governo paga um valor para aqueles que têm a pesca como fonte de renda. O benefício equivale a um salário mínimo, atualmente R$ 937.

Antônio dos Santos, de 47 anos, é pescador há 10 anos. Segundo ele, o seguro ajuda nesse período de reprodução dos peixes. “Tem que obedecer as leis, se não pode, não pode. Mas, para quem vive da venda, fica difícil por isso essa ajuda é importante para a gente. É o que nos ajuda nesse momento”, afirma.

Em janeiro, o presidente Michel Temer assinou um decreto em que alterava as regras para receber o benefício. Dentre as mudanças, pescadores que possuem outras rendas não podem mais receber. Com isso, ao menos 2 mil pescadores foram afetados.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.