Rio Branco,

Governadores defendem a criação de Sistema Nacional de Segurança durante encontro no AC

Por G1 / Acre

Debate ocorre nesta sexta-feira (27) e tem como tema o narcotráfico. Autoridades da Bolívia, Peru e Colômbia também estão presentes.

Publicidade

Governadores e representantes de 23 estados defendem nesta sexta (27) a criação de um Sistema Nacional de Segurança para combater o narcotráfico. A proposta foi apresentada durante o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma emergência nacional, que ocorre na capital acreana, Rio Branco.

Participam do evento 20 governadores, um vice-governador e representantes dos estados e dos Ministérios da Integração, Defesa, Justiça, Relações Exteriores e Gabinete de Segurança Institucional.

O sistema, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp), seria integrado e funcionaria como um banco único de dados contendo informações do Judiciário, polícias investigativas, Institutos de Administração Penitenciária e Polícia Militar, englobando também a Agência Brasileira de Inteligência, além da Polícia Federais e Departamento Nacional de Trânsito (Detran). Isso, de acordo com a proposta, poderia criar ações de combate ao narcotráfico mais específicas.

A governadora de Roraima, Suely Campos, afirmou que o narcotráfico é uma questão nacional e que os estados onde têm fronteiras precisam ser vistos com mais atenção.

“No meu estado, que têm duas fronteiras com países da Venezuela e da Guiana, temos quase dois mil quilômetros de fronteira, então, é humanamente e institucionalmente impossível o estado prover essa segurança. O governo federal tem que compartilhar com a segurança nacional, mesmo porque e uma atribuição dele”, falou.

Suely afirmou ainda que o estado sofre com um fluxo migratório muito grande. “Temos um aumento da criminalidade em 55%, estamos com nosso sistema de saúde estrangulado, porque aumentou em mil por cento por causa dos atendimentos aos venezuelanos. A segurança hoje debatida aqui com os governadores e com os ministros da área é um tema importantíssimo. Agora, esperamos que seja efetivado esse acordo, pois temos que investir em segurança e em tecnologia”.

A vice-governadora do Acre, Nazareth Lambert, afirmou que a insistência em colocar a discussão em pauta e ao lado da 16ª Reunião do Fórum da Amazânia Legal é responsabilizar todos os gestores a se integrarem para que a segurança nas fronteiras seja fortalecida.

“Queremos ampliar para a discussão entre todos os governadores do Brasil. Esse é um momento grave da nossa sociedade em relação ao combate do narcotráfico. Precisamos tomar medidas exatas em relação ao controle das fronteiras, que não afeta somente os estados da Amazônia Legal, mas sim o Brasil como um todo”, afirmou.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que esse é um momento que exige uma união e esforços de todos os gestores.

“Defendemos que seja insticionalizada a Agência Nacional de Inteligência ligada diretamente ao presidente da República e ao Gabinete de Segurança institucional formada pelo Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e a Inteligência dos estados, principalmente voltada ao tráfico de drogas, de armas e lavagem de dinheiro”, afirmou.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade