Siga-nos

Aguarde processando...

X

Governo federal autoriza repasse de R$ 420 mil para combater seca em cidades do Acre

G1

Recurso deve ser usado para abastecer bairros de Rio Branco, Brasileia, e Porto Acre com carros-pipa. Municípios enfrentam estiagem desde agosto deste ano.

O Ministério da Integração Nacional autorizou o repasse de R$ 420 mil para garantir o abastecimento em cidades que enfrentam a estiagem no Acre desde agosto deste ano. O valor deve ser usado para amenizar as consequências da seca no estado sendo aplicado para abastecer a população por meio de carros-pipa em bairros de Rio Branco, Brasileia e Porto Acre.

O prazo para a execução dos serviços é de até 180 dias a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU).

A seca severa fez o governo federal reconhecer, no último dia 4 de outubro, a situação de emergência em Rio Branco, Brasileia e Porto Acre. O reconhecimento facilita a capitação de recursos para o Estado executar ações para garantir água à população.

O decreto foi assinado pelo governo no dia 25 de agosto. Segundo o Executivo, a medida seguia orientações da Defesa Civil Estadual e de vários órgãos ambientais, relacionadas às consequências que a falta de chuvas podia trazer à população. Esta é a segunda maior seca que afeta o estado.

Recurso do governo federal deve ser usado para amenizar efeitos da seca em municípios do Acre  (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Recurso do governo federal deve ser usado para amenizar efeitos da seca em municípios do Acre (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Nível Rio Acre

O Rio Acre, que corta praticamente todo o estado, é o principal meio de captação, tratamento e distribuição de água na maioria das cidades. Nesta sexta-feira (13), o nível do manancial em Rio Branco chegou a 1,56 metro.

Já na cidade de Brasileia, a média registrada do Rio Acre nesta sexta foi de apenas 1,11 metro. A medição na cidade de Porto Acre não é feita.

Seca no Bujari

A cidade do Bujari, interior do Acre, passa por uma das maiores crises hídricas de sua história. Há quase 100 dias não chove o suficiente para que o abastecimento no município seja garantido à população.

O reservatório de água da cidade, que tem o tamanho de 20 campos de futebol, está completamente vazio.

Com a situação crítica, o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) adotou, desde 29 de setembro, medidas para que a cidade não fique sem água.

Em 13 dias de operação, o Depasa afirma que os veículos fizeram 388 viagens e transportaram mais de 7,7 milhões de litros de águatratada da Estação de Tratamento (ETA II) em Rio Branco para o depósito da cidade.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.