Siga-nos

Aguarde processando...

X

Após errar previsão, numerólogo remarca fim do mundo para 15 de outubro

correiobraziliense

“O mundo não vai acabar, mas o mundo ‘como você o conhece’ vai acabar, tudo vai mudar”, comunicou o britânico David Meade

Lembra da última previsão para o mundo acabar? Remarque na agenda (de novo, se é que cabe tanta redundância). O numerólogo britânico David Meade, que havia previsto a destruição da Terra para 23 de setembro, disse que refez os cálculos de quando o Nibiru vai se chocar com o planeta Terra. Agora, de acordo com ele, isso vai acontecer em 15 de outubro. Ou seja, nem vai dar para aproveitar (ou reclamar) do quê pode ser o último horário de verão que começa no mesmo dia. A Nasa, obviamente, nega.

23 de setembro de 2017 era o 33º dia após o eclipse total do Sol, o que David considera “uma profecia incrível e um sinal assustador”. Ele ainda cita o capítulo 12 do livro do Apocalipse de São João, em que “uma mulher vestida com o Sol, com a Lua sob seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre sua cabeça dará luz”.
De acordo com o estudioso, com o cumprimento da profecia, a Lua apareceria sob a constelação de Virgem, que representaria uma mulher virgem. Sobre ela, estariam as doze estrelas: na verdade, as nove de constelação de Leão mais os planetas Mercúrio, Vênus e Marte. Vênus então pareceria dar luz a Júpiter, o sinal do fim dos tempos, afirmou.

Nova previsão

Segundo o The Sun, Meade disse que as pessoas interpretaram mal a profecia do Planeta X. “É possível que, no fim de outubro, estejamos prestes a entrar no período de tribulação de sete anos, para ser seguido por um milênio da paz”. O terremoto no México e os furacões no Caribe estão todos relacionados à teoria do Planeta X, segundo Meade.
“Não é o fim do mundo, mas é o fim dos dias de acordo com a profecia da Bíblia. O mundo não vai acabar, mas o mundo ‘como você o conhece’ vai acabar, tudo vai mudar”, comunicou Meade ao site RT. Porém, nem toda profecia é sombria. Segundo o astrônomo, após 7 anos de caos, o mundo vai entrar no período de “mil anos de paz”.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.