Siga-nos

Aguarde processando...

X
Loading...

Crianças criam projeto e com dinheiro de mesada ajudam orfanato em Rio Branco

G1

Meninas criaram projeto ‘Ame Amar’ e se reúnem para planejar ações de ajuda para as crianças do Educandário Santa Margarida.

Um gesto de amor e de solidariedade ao próximo uniu seis meninas de 9 e 10 anos de idade, em Rio Branco. Para ajudar crianças em situação de abandono do Educandário Santa Margarida, elas criaram o projeto ‘Ame Amar’ e o dinheiro que recebem da mesada é revertido em mantimentos para a entidade.

A última ação ocorreu em agosto. Mas até a boa ação, foram três meses juntando dinheiro da mesada. As amigas conseguiram economizar R$ 300 e compraram produtos de higiene pessoal.

A idealizadora do projeto é Maria Luiza, de 9 anos. Ela conta que sentiu vontade de ajudar outras crianças e com a ajuda da mãe confeccionou cofrinhos e distribuiu entre as amigas. A primeira reunião do grupo aconteceu em maio na escola onde elas estudam.

No total, R$ 300 foram juntados pelas crianças (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

No total, R$ 300 foram juntados pelas crianças (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

“A gente conversou, combinou como que a gente ia fazer, elas ficaram muito animadas, disseram: ‘ai Maria bora, bora’, porque tinha umas que nunca tinham ido lá no Educandário, queriam conhecer as criancinhas, aí foi bem legal”, relata.

No dia da entrega das doações, o grupo se emocionou ao conhecer de perto a história das crianças que vivem no abrigo. “A gente conheceu muitas outras crianças, inclusive uma que ia de braço em braço, ela não largava”, relembra.

Também fazem parte do projeto Anna Lívia, Alice Andrade e Luísa de Souza, de 9 anos, além de Marília Izabel Carvalho e Vitória Bittencourt Carvalho, ambas de 10 anos.

Crianças confeccionaram cartazes para realizar ação (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

Crianças confeccionaram cartazes para realizar ação (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

A enfermeira Ingrid Gomes Taveira é mãe de Maria Luíza e diz que a filha sempre teve atitudes solidárias e já era incentivada pelos pais a ter organização financeira.

“A ideia das crianças é fazer também brincadeiras, contar histórias, servir um lanche e agora já estão com a ideia de levar algo no Natal, mas principalmente levar abraços e amor”, diz Ingrid.

Para este mês, em que é celebrado o Dia das Crianças, elas pretendem entregar brinquedos e preparar uma ação para os pequenos do Educandário.

E para facilitar a comunicação entre as mães das estudantes, Ingrid criou um grupo no whatsApp, que serve de apoio para a execução das ações. Ela acredita que incentivar esse tipo de atitude gera crianças solidárias, mostrando uma realidade diferente para elas.

As compras foram feitas de acordo com as necessidades do educandário (Foto: Clóvis Gonçalves / Arquivo Pessoal)

As compras foram feitas de acordo com as necessidades do educandário (Foto: Clóvis Gonçalves / Arquivo Pessoal)

A mãe da estudante Anna Lívia, a servidora pública Adelaide Maria de Araújo, concorda. Para ela, é interessante ver a iniciativa e o interesse das estudantes envolvidas em ajudar os outros e exercer a cidadania.

“Elas mesmas se reuniam, elas bolaram tudo, cartazes foram elas que escreveram. Elas pediram ajuda das mães para levá-las para fazerem as compras no supermercado e daí a gente marcou um dia no Educandário, para que as crianças tenham esse convívio também com outras crianças, o que é muito importante, para ter essa mente voltada para entender a situação das pessoas”, diz Adelaide.

Maria Luíza com o cofre confeccionado (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

Maria Luíza com o cofre confeccionado (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

Além do projeto desenvolvido em prol das crianças do Educandário Santa Margarida, Maria Luíza já teve outros gestos de solidariedade. Um deles, foi doar o cabelo para crianças com câncer. A mãe dela diz que desde o ano passado, a filha pedia para doar o cabelo e ela não autorizava.

“Eu não deixava, ficava enrolando, enrolando, e neste ano eu combinei com ela que ia deixar no meio do ano, então, quando chegou no meio do ano, depois das férias, ela disse: mãe, precisamos doar o cabelo para as criancinhas que tem câncer e assim foi, eu no salão chorando e ela doando o cabelo dela”, finaliza.

Maria Luíza cortou o cabelo em prol de crianças com câncer (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

Maria Luíza cortou o cabelo em prol de crianças com câncer (Foto: Ingrid Taveira/Arquivo pessoal)

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.