Rio Branco,

‘MP na Medida Certa’ premia participantes com melhor desempenho

Incentivo coletivo

Por DIRCOM/MPAC

Publicidade

Após quatro meses de acompanhamento médico, psicológico, fisioterápico e nutricional dado aos participantes, o projeto MP na Medida Certa chegou ao fim da sua primeira edição. A cerimônia de premiação aos servidores que tiveram melhor desempenho dentro dos parâmetros propostos ocorreu na manhã desta terça-feira (20), no auditório do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

O projeto, que faz parte do programa Viver para Servir, foi realizado em parceria com o Centro de Especialidades em Saúde (CES). A iniciativa pioneira do MPAC buscou auxiliar os servidores que estavam acima do seu peso ideal. Como pano de fundo da proposta e visando motivar a busca pelos resultados, foi promovida uma competição entre os participantes, com a distribuição de prêmios ao final da jornada.

Os servidores premiados foram: Enayle Alves, em 1º lugar; João Alves, em 2º lugar; e Mirtes Oliveira, em 3º lugar. Os participantes Túlio Alexandre, que perdeu a maior quantidade de peso, e Márcia Barroso, que se destacou pela maior assiduidade nas atividades, também receberam prêmios.

O procurador-geral de Justiça, Oswaldo D’Albuquerque, enalteceu os objetivos alcançados pelo projeto. “Em nossa gestão, sempre nos preocupamos com a saúde de membros e servidores. Quando pensamos este projeto, o resultado que nós buscávamos era este, pessoas mais felizes e mais estimuladas a bem servir ao cidadão”. Ele destacou que a ideia é dar continuidade à ação. “Não só vamos manter o programa, como vamos buscar ampliá-lo, oferecendo mais vagas e mais profissionais”.

Viver para Servir

“Um dos objetivos do programa Viver para Servir é a garantia da qualidade de vida de membros e servidores da instituição. E detectamos, durante algumas ações do programa, essa questão que hoje é uma questão de saúde pública mundial, a questão da obesidade, e das doenças que são acarretadas por conta da obesidade” , explica o diretor de Gestão com Pessoas do MPAC, Ronney Araújo.

“Tivemos muitos relatos de melhora da autoestima e aumento da produtividade”, destaca uma das coordenadoras do projeto, Luciana Virgínia. “O grupo foi uma grata surpresa, especialmente pela motivação de todos, que se dispuseram a participar das atividades em um horário após o trabalho”, salientou outro coordenador do projeto, Marinho Gallo.

Motivações

“Eu estava super insatisfeita com o corpo, não conseguia subir uma escada sem me cansar. E quando soube do projeto, uni o útil ao agradável”, destaca a vencedora, Enayle Alves. “E eu tinha vontade de ser mãe. Então, quando fui ao médico, ele me informou que eu tinha um problema e que, se eu chegasse a perder peso, esse problema poderia ser resolvido sem a necessidade de uso de medicação”, ressalta ela, que agora pretende dar prosseguimento ao sonho da maternidade.

O participante Dimes Pereira conta que a participação no projeto, além de melhorar sua saúde, também o ajudou a melhorar o relacionamento com os colegas de trabalho. “Eu tinha dificuldade de me relacionar com outras pessoas, porque não me sentia bem comigo mesmo, e isso acabava afetando a minha relação com outras pessoas”, relata. “Hoje a minha mudança de humor quem descreve são meus próprios colegas de projeto, que reconhecem e elogiam”.

Profissionais indicam caminhos

“Muita gente viu que dieta não é passar fome, pelo contrário, a gente come mais, em menores quantidades, mas com qualidade alimentar”, aponta o nutricionista Jörg Rieckmann, parceiro do projeto. “Fiquei satisfeito com os resultados que tivemos. A gente sabe que é uma coisa muito difícil mexer com p alimento das pessoas, porque não é você sozinho, tem também os seus familiares. Então é sempre bom todo mundo entrar junto nessa”, indica.

“O processo de emagrecimento é baseado em três fatores: reeducação alimentar, atividade física e equilíbrio psicológico. Então uma pessoa pode seguir uma dieta, praticar uma atividade física, mas se o estado emocional dela não está equilibrado, ela não tem um sucesso adequado”, alerta a psicóloga do CES, Manoela Cristina, que também fez parte da equipe que auxiliou os participantes.

Sobre o projeto

Direcionado aos membros e servidores com índice de massa corporal acima da média, o projeto MP na Medida Certa busca incentivar a melhora da qualidade de vida; incentivar a educação alimentar; melhorar os hábitos alimentares; melhorar o rendimento nas atividades exercidas; reduzir riscos à saúde, através do controle das doenças crônicas não transmissíveis; avaliar a satisfação corporal e o estado nutricional, relacionando ao sedentarismo, envelhecimento, obesidade e conhecimento de hábitos alimentares; e melhorar o ambiente e organização.

Para participar da primeira edição, era preciso ter um Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 25 kg/m², verificado na ocasião da avaliação. O projeto contou com 4 meses ininterruptos de hábitos saudáveis, com acompanhamento clínico, psicológico, nutricional e corporal. Como forma de incentivo, além da melhora do bem estar, os participantes que tiveram melhor desempenho em parâmetros como maior percentual de peso perdido e diminuição da circunferência da cintura foram premiados.

 


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade