Rio Branco,

Assassino de vendedora é vítima de tentativa de homicídio dentro de Presídio

Quem com ferro fere...

Por Redação Ecos da Notícia

Publicidade

Alguns crimes cometido pelo ser humano são tão cruéis, que nem os próprios criminosos ajeitam conviver com pessoas que tenham sido condenadas por crime bárbaro.

Alguns desses crimes são declaradamente divulgados pelos detentos, tais como: estupro, quem mata criança, espanca ou mata a mãe, são pessoas excluídas até do convívio entre os encarcerados.

Na manhã desta segunda-feira (19), uma briga entre dois detentos, identificados por Adjunior dos Santos Sena e o detento Fábio Júnior, quase termina em morte de Adjunior que foi perfurado a estoques por Fábio Júnior, socorrido pelo SAMU e encaminhado ao Pronto Socorra, onde deu entrada em estado grave.

De acordo com informações, o desentendimento entre os dois detentos, demonstrou que o crime classificado como covarde, até mesmo por quem cumpre pena por homicídio, não foi e não será aceito pelos detentos, que durante a remoção do ferido pelo SAMU comemoravam batendo grade e gritando “Agora sim, tu vai sentir o que a mulher sentiu, covarde e se escapar vai voltar de novo”.

Adjunior dos Santos Sena, foi condenado a mais de 27 anos de prisão pelo assassinato da vendedora Keila Viviane dos Santos, ex mulher de Adjunior, morta a golpes de faca em frente à loja em que trabalhava no bairro Estação Experimental, o crime ocorreu no final da tarde do dia 29 de fevereiro deste ano e chocou não somente a sociedade, mas até mesmo detentos que cumprem pena no Presídio Francisco D´Oliveira Conde, que na primeira oportunidade que tiveram, através de uma briga banal, um deles tentou contra a vida de Adjunior e os demais comemoraram com ameaça se ele escapar terá retorno.

 


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade