Rio Branco,

No Acre, menina de 13 anos vira mãe após viver maritalmente desde 2013 com homem de 45. Pai será denunciado por estupro

Por Por Assem Neto/Veja Politica

697939766

Publicidade

Uma criança de 13 anos deu à luz um bebê do sexo masculino, no dia 4 de junho, na Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco. O pai, um homem de 45 anos, está sendo formalmente denunciado por estupro de vulnerável na Delegacia de Proteção à Mulher. A denúncia é do Conselho Tutelar, que recebeu todo o histórico do caso do Serviço Social da maternidade pública. A mãe admitiu viver maritalmente com o homem desde os 10 anos. Os conselheiros tutelares sugerem que a menina tenha sido “convencida” ao relacionamento quando tinha 8 ou 9 anos de idade.  A lei trata a menor como vítima e o adulto como criminoso. Porém, tanto a menina quanto a mãe dela fazem uma defesa aberta do rapaz, que trabalha numa empresa privada como corretor de vendas. Na maternidade, em entrevista às assistentes sociais, ela disse que o seu “marido” é um homem “muito bom”. A sogra, ouvida também, afirmou que “ele dá de tudo para ela, e sempre a tratou com respeito”.

O conselheiro tutelar que recebeu as informações confirmou que o caso está sendo levado à polícia, para investigação. Ele não quis se identificar, mas afirmou que, independente da vontade da menina e da mãe dela, o homem pode responder criminalmente. O casal vive há três anos na mesma casa. O bebê está sob os cuidados da mãe e da avó. A reportagem localizou o pai da criança. Ele pediu para não ter seu nome citado, e assumiu estar  inquieto, pois nunca teve a intenção de fazer mal à “esposa”.

Caso idêntico

ecosEm 2013, o trabalhador rural Gleicimar Cabral Ferreira, de 18 anos, foi preso pela polícia por viver maritalmente com uma adolescente de 13 anos, em um seringal, no rio Mirim, no município de Porto Walter (AC).
A denúncia foi feita por Maria Zilda Nascimento de Lima, mãe da garota. Segundo Maria, a filha estava morando com o pai no seringal e a relação teria sido autorizada por ele. Revoltada ao saber da situação, Maria procurou o Conselho Tutelar e a Delegacia de Proteção ao Menor, em Cruzeiro do Sul e denunciou o caso.

No mesmo ano, policiais Civis da Delegacia de Proteção ao menor de Cruzeiro do Sul prenderam em flagrante na comunidade Pau-d’arco, Rio Liberdade, José Ademário Prudêncio da Silva, 39 anos, por estupro de vulnerável. O homem mantinha uma relação de marido e mulher com uma menina de apenas 11 anos.

A informação chegou à polícia através de denúncias de moradores. O exame de conjunção carnal comprovou os abusos sofridos pela criança. A menina ainda teria sido vítima do padrasto e de outras pessoas da família, as informações ainda estão sendo apuradas.

 


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade