Rio Branco,

Acusado de matar “monstro do Antimary” é absolvido pela Justiça

Por Redação Ecos da Notícia

Lucimar Bezerra, "Monstro do Antimary" como ficou conhecido foi morto a golpes de faca dentro de cela de delegacia.
Lucimar Bezerra, “Monstro do Antimary” como ficou conhecido foi morto a golpes de faca dentro de cela de delegacia.

Publicidade

A Justiça do estado do Acre absolveu o trabalhador rural Marcelo Oliveira da Silva, apontado como um dos responsáveis pelo linchamento e morte de Lucimar Bezerra, de 33 anos, “O mostro do Antimary”, como ficou conhecido, após estuprar e matar a dona de casa, Jardines Oliveira, de 24 anos, e também assassinar um bebe de seis meses que era filha de Jardines, cujo corpo foi encontrado dentro de um matagal, a quilômetros de distância de onde o corpo da mãe foi encontrado.

O julgamento de Marcelo Oliveira da Silva, ocorreu na manhã da última sexta-feira (25), na Comarca de Bujari, cidade distante cerca de 22 quilômetros de Rio Branco, a capital do estado do Acre.

A sentença de absolvição foi assinada pelo Juiz Pedro Pedrosa, da Comarca de Bujari, e de acordo com o Juiz o Ministério Público do Acre, tem até cinco dias para recorrer da decisão do conselho de sentença, formado por sete jurados.

Entenda o caso:

O crime contra mãe e filha aconteceu na Comunidade Boa Esperança, localizada na BR 364. No dia 14 de novembro de 2015, o corpo de Jardines foi encontrado boiando no rio. A mulher que teria saído de casa com a filha de seis meses no colo, seguia em direção a casa de parentes, distante cerca de uma hora caminhando no ramal.

No meio do caminho, a mulher foi atacada por Lucimar Bezerra, que a estuprou em seguida a jogou no rio.

O corpo da mulher foi encontrado somente no dia seguinte por parentes e vizinhos que realizavam buscas, mas da filha uma criança de seis meses, não foi encontrado.

Lucimar confessou que estuprou e matou dona de casa, em seguida matou bebê de seis meses.
Lucimar confessou que estuprou e matou dona de casa, em seguida matou bebê de seis meses.

As buscas continuaram até que no dia 17, já com Lucimar Bezerra preso e suspeito de cometer o crime, e teria sido ele quem mostrou o local em que enterrou o corpo da criança.

Segundo o delegado Remulo Diniz que presidiou o inquérito, a época o assassino confessou ter estuprou a mãe e a criança ficou perto. Após estuprar a mulher Lucimar decidiu matá-la e caminhou com a criança dentro da matar por cerca de uma hora e decidiu matá-la também. O bebe teve o rosto esmagado, supostamente por uma pedra.

No dia 18 de novembro, uma multidão invadiu a delegacia de Bujari, no momento em que estavam somente quatro policiais militares e dois civis de plantão, não sendo possível conter a multidão enfurecida que executou Lucimar com dezenas de golpes de faca.

Durante as investigações do linchamento e morte Marcelo Silva de Oliveira, que era sobrinho da vítima foi preso acusado de participar do crime, mas dias depois foi posto em liberdade.

E permaneceu aguardando o julgamento em liberdade que o absorveu da acusação de participação na morte de Lucimar Bezerra.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade