Rio Branco,

No Acre, bombeiros mirins fazem atendimento em vítimas de acidente

Bombeiros Mirins

Por G1 acre

bombeiros_mirins_fizeram_atendimento_em_vitimas_de_acidente_de_transito_em_rio_brancoTrês bombeiros mirins, entre 12 e 14 anos, fizeram os primeiros atendimentos em pessoas vítimas de um acidente de trânsito, na noite desta terça-feira (4), em Rio Branco. O acidente ocorreu próximo ao Terminal Urbano, no Centro.

Publicidade

O major Cláudio Falcão, do Corpo de Bombeiros, informou que os adolescentes voltavam de um treinamento quando viram o acidente entre duas motocicletas.

“Eles terminaram as instruções e foram para o Terminal Urbano para pegar o ônibus e voltar para casa. Nesse momento, se depararam com a colisão entre as motos. Os dois motociclistas ficaram feridos e eles imediatamente atenderam. Inclusive, em uma das vítimas, os adolescentes estancaram a hemorragia”, contou o major.

Os bombeiros mirins usaram as técnicas que aprenderam na corporação. Segundo Falcão, os três são da turma de 2015 e, como se destacaram, continuam no curso em 2016 como monitores. “Eles fizeram todos os procedimentos de primeiros socorros. Atualmente, os três ajudam nas instruções aos bombeiros mirins deste ano”, disse.

Após os primeiros atendimentos, os adolescentes acionaram o Serviço de Atendimetno Móvel de Urgência (Samu) e as vítimas foram conduzidas para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Bombeiro mirim
O curso de bombeiro mirim é uma iniciativa social do Corpo de Bombeiros voltada para adolescentes entre 12 e 14 anos. O curso tem duração de um ano e, caso o aluno se destaque, esse prazo pode ser prorrogado por mais um ano e o adolescente passa a ser monitor na turma seguinte. Mais de mil adolescentes participam do curso em todo o estado, sendo 450 na capital Rio Branco.

A iniciativa tem como objetivo despertar nos participantes o senso e a prática de cidadania e disciplina, através de atividades de preservação ambiental, prevenção de incêndios, noções de primeiros socorros, prevenção de acidentes domésticos, dentre outras.

“Inserimos valores éticos e morais nesses jovens. Ensinamos disciplina, além da questão de ajudar o próximo. A ideia é levá-los a serem pessoas melhores e cidadãos de bem. Trazemos esses adolescentes para dentro da instituição e fazemos uma série de atividades, desde educação física até aulas de reforço escolar”, finalizou o major Fação.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade