Rio Branco,

aaa

Justiça marca audiência de instrução de PM que matou segurança no Acre

Preso por homicídio qualificado

G1 Acre
- Publicidade-

13823661_1008951352492266_892808835_n

Preso por homicídio qualificado, o sargento da Polícia Militar (PM-AC) Jorge Weston de Andrade Mendes deve passar por uma audiência de instrução e julgamento na terça-feira (27), segundo o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC).

Mendes matou o vigilante Raimundo Carlos Costa de Araújo, de 37 anos, com quatro tiros no dia 24 de julho em um balneário, na estrada do Quixadá em Rio Branco. A audiência está marcada para às 8h na 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar.
Ao G1, a PM informou que há um inquérito policial em andamento sobre o caso e que pode ter como conclusão uma punição administrativa pela conduta do policial. Irmão da vítima, Paulo Araújo, de 28 anos, relata que a família ainda não superou a perda. Ele lembrou também que o vigilante deixou um filho de 13 anos e que o adolescente sofreu muito no último Dia dos Pais. Indignado, ele alega que o policial agiu de maneira covarde e espera por uma resposta da justiça.

“Ele foi um cidadão covarde, executou um trabalhador, um pai de família. Tenho um filho e, com a morte do meu irmão, assumi o papel de pai também do filho dele. Está sendo tudo muito difícil, bem complicado. Minha mãe ainda sofre muito, pois morava com ele. Espero que ele [policial] pague”, disse.

Araújo afirma ainda que a família contratou um advogado e deve entrar com pedido de indenização por danos morais contra o Estado, alegando omissão, pois afirma que o policial já possuía ficha de antecedentes criminais. Ele disse que deve mover uma ação contra o proprietário do balneário.

“A instituição, PM ou Estado, poderiam ter evitado essa situação se tivessem tirado o porte de arma dele. No caso do proprietário do balneário, ele sabia que o cidadão [policial] estava desde cedo embriagado e causando transtornos no local, sabia que ele era policial e estava armado, mas em nenhum tomou nenhum atitude, foi omisso”, alega.

Quanto ao pedido de indenização por danos morais, a PM afirmou que este é um direito da família e que eles podem ingressar com o processo independente de Mendes possuir ou não antecedentes criminais.

Entenda o caso
O vigilante Raimundo Carlos Costa de Araújo, de 37 anos, foi morto em um balneário de Rio Branco no dia 25 de julho. De acordo com a PM, em matéria publicada no G1 em 25 de julho, o sargento teria chamado a esposa da vítima para dançar, gerando uma discussão e o vigilante teria reagido e dado um soco nele. Após a briga, o homem foi alvejado com os disparos.

A matéria diz ainda, que uma testemunha que estava no local e não quis se identificar contou que Araújo não teria dado um soco no sargento e que o policial estava alterado e teria mexido com a mulher da vítima. Ao ser preso, a PM informou que o acusado não apresentava sinais de embriaguez.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS