Rio Branco,

Cerca de 700 homens do Exército devem atuar em eleições no Acre

Eleições 2016

Por G1 acre

exercito_7j4qthoCerca de 700 homens do Exército Brasileiro devem reforçar a segurança em oito cidades do Acre no próximo domingo, quando ocorrem as Eleições 2016.

Publicidade

O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) informou, na segunda-feira (26), que o reforço faz parte das tropas federais enviadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após a onda de ataques no estado.

O TSE divulgou no último dia 20 a lista deestados que receberiam reforço no pleito 2016. No Acre, os homens devem ser distribuídos entre as cidades de Acrelândia, Brasileia, Epitaciolândia, Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Senador Guiomard, Sena Madureira e Tarauacá. A maioria desses municípios foi alvo de ataques criminosos a patrimônios públicos, veículos e casas de agentes da segurança.

Ainda de acordo com o TRE-AC, o número deve aumentar pois os municípios de Cruzeiro do Sul e Tarauacá ainda não divulgaram quantos homens devem ser disponibilizados para atuarem nas Eleições.

As Forças Armadas devem permanecer nos municípios nos dias 1 e 2 de outubro – véspera e dia do pleito, respectivamente.

O TRE-AC detalhou também que ainda não pode precisar se todos os soldados são do Acre ou se o TSE enviou homens de outros estados e cidades do Brasil. O total de homens disponibilizados, e suas localidades,  deve ser divulgado nesta terça-feira (27).

Início dos ataques
A onda de atentados teve início após Macio Pires Teles do Nascimento, de 18 anos, morrer em uma troca de tiros com a polícia no bairro Vila Acre, no dia 16 de agosto. Segundo a PM, Nascimento fez uma família refém durante um assalto e, ao tentar fugir, entrou em confronto com a PM e foi baleado.

Uma das nove ocorrências registradadas na primeira noite foi a perda total do arquivo cultural do Parque Capitão Círiaco.

A Sesp-AC anunciou uma operação com a convocação de 373 agentes das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal (PRF), do Exército, do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans), além de representantes do Ministério Público (MP-AC) e do Judiciário.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade