Rio Branco,

Corpo de vítima fatal de acidente de trânsito fica mais de cinco horas para ser resgatado

Por Fotos cedidas: Alexandre Lima/oaltoacre

IMG-20151213-WA0198-660x495

Publicidade

A morte em si é sempre algo traumático, e quando ela acontece de forma inesperada como em um acidente de transito, esse trauma familiar, entre amigos é maior ainda, mas quando o corpo de uma vítima fatal de acidente fica por mais de cinco horas exposta ao sol aguardando resgate do Instituto Médico Legal – IML, esse sentimento tornar-se de impotência diante do absurdo e falta de respeito por parte das autoridades que teoricamente deveriam evitar uma situação dessa e piora mais ainda quando essas autoridades fazem falsas promessas apenas com o intuito de pararem de serem importunadas.
Na manhã deste domingo (13) uma colisão envolvendo duas motocicletas culminou na morte de uma pessoa, um trabalhador cujo corpo permaneceu no local do acidente ramal Santa Luzia altura do quilometro 84 da BR 317 (estrada do Pacifico), por mais de cinco horas, sendo coberto com palhas aguardando a chegada de peritos de Rio Branco chegar ao local para resgatar o corpo.

ecos-13-12-15-
De acordo com informações o idoso Francisco Nascimento, de 70 anos, trafegava no ramal Santa Luzia quando colidiu de frente com a moto pilotada por Irismar Azevedo Marculino, de 35 anos, que transportava na garupa, uma afilhada adolescente de 12 anos.
Com o impacto da colisão entre as moto, Irismar Azevedo caiu quebrando o pescoço e sofrendo um corte profundo pescoço provocado por uma pedaleira da moto.
Temendo represálias o idoso se retirou do local e se apresentou horas depois na delegacia.
E a família da vítima fatal teve que retirar palhas de coqueiros para cobrir o corpo enquanto aguardaram mais de cinco horas a chegada dos peritos do IML.

Até o início deste ano os municípios do Alto Acre, Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri possuíam uma equipe de peritos e uma rabecão para atender ocorrências de mortes e realização de pericias em locais de crimes de homicídios, tentativas, acidente, arrombamentos e todo tipo de perícia, mas a equipe foi retirada e em entrevista foi e garantido pelo Secretário Estadual de Policia Civil, Carlos Flávio, e o Coordenador do IML no Estado, Halley, que estavam na reunião, três peritos seriam disponibilizados para o município, no intuito de resolver essa problemática na regional que é composta por quatro municípios.
No início do mês de novembro uma Comissão de vereadores esteve em Rio Branco reunida com o

A promessa do Estado em recolocar peritos criminais na fronteira para atender a regional do Alto Acre, apenas ficou no papel. Mesmo com pedidos de autoridades de vários setores, a Secretaria de Segurança Pública mentiu e enganou uma comissão de vereadores que esteve na Capital no início de novembro passado.
Segundo foi dito e garantido pelo Secretário Estadual de Policia Civil, Carlos Flávio, e o Coordenador do IML no Estado.

Leia Aqui


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade