Siga-nos

Aguarde processando...

X

Lula rebate acusação de Joesley: ‘Governo que mais combateu corrupção’

Ex-presidente se pronunciou, em texto divulgado por sua assessoria de imprensa, sobre as declarações do empresária à revista Época

Redação Ecos da Notícia

Depois da entrevista concedida por Joesley Batista à revista Época, em que o empresário afirmou que costumava realizar pagamentos para integrantes do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, com o objetivo de facilitar os negócios da JBS, o ex-presidente se pronunciou, por meio de sua assessoria.

“O governo do ex-presidente Lula foi o que mais combateu a corrupção no Brasil, adotando fortes medidas de transparência pública, como a criação da CGU, e leis mais eficazes contra o crime organizado, além do fortalecimento da Polícia Federal e o respeito integral ao Ministério Público”, diz um trecho da nota.

Em suas declarações, Batista disse que “o Lula e o PT institucionalizaram a corrupção”. “Houve essa criação de núcleos, com divisão de tarefas entre os integrantes, em estados, ministérios, fundos de pensão, bancos, BNDES. O resultado é que hoje o Estado brasileiro está dominado por organizações criminosas. O modelo do PT foi reproduzido por outros partidos”, contou o empresário.

A assessoria do petista rebateu as acusações e destacou que “os avanços no combate à corrupção no governo Lula – e no de sua sucessora, Dilma Rousseff – foram reconhecidos publicamente pelos mais diversos setores, dentro e fora do Brasil, inclusive pelos coordenadores da Lava Jato”.

“Joesley Batista negocia o mais generoso acordo de delação premiada da história e, mesmo nesse contexto de troca de acusações por benefícios penais, não apontou qualquer ilegalidade cometida, conversada ou do conhecimento do ex-presidente Lula”, completa a assessoria, fazendo referência à afirmação feita por Batista, de que “nunca teve contato com o ex-presidente”.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.