Siga-nos

Aguarde processando...

X

Ação de Inverno segue intensa nos bairros de Rio Branco

Operação lançada no dia 2 de janeiro foca no combate aos criadouros do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Por Ecos da Notícia

A Ação de Inverno 2017, a quinta edição da operação de limpeza da cidade que este ano tem o foco no enfrentamento ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya, segue intensa nos bairros de Rio Branco. Na manhã desta terça-feira, 10, uma importante frente de limpeza da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSUR) realizou roçagem e recolhimento de entulho na Rua Beira Rio, no bairro Cidade Nova, no Segundo Distrito. Trata-se de uma área que já foi habitada, mas, seguindo orientação da Defesa Civil, a maioria dos moradores foi removida para regiões seguras como a Cidade do Povo. O lugar foi tomado pelo mato, mas a SEMSUR o limpou completamente, ao mesmo tempo em que retirou lixo, entulho e potenciais criadouros do Aedes.

“Já removemos mais de 500 toneladas. Naquela região da Beira Rio, a Ação de Limpeza ajuda também a evitar vandalismo, além de melhorar a qualidade do ambiente e combater o Aedes aegypti”, disse Kellyton Carvalho, secretário municipal de Serviços Urbanos. Ele confirmou que os trabalhos são programados em conjunto com a ação dos agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA). “Só pedimos às pessoas que não joguem lixo neste local, que é agora uma área verde”, pediu o encarregado da equipe de roçagem de áreas verdes, João Miguel.

Lançada no dia 02 de janeiro pelo prefeito Marcus Alexandre e a vice-prefeita Socorro Neri, a Ação de Inverno reúne cerca de mil gentes de Endemias e trabalhadores da SEMSUR atuando nos trabalhos de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Conforme foi planejado, o trabalho desenvolvido pelos Agentes de Endemias inclui ações de prevenção à presença do mosquito com visitas domiciliares e a limpeza do bairro, com a coleta de lixo e entulho realizada pelas equipes da SEMSUR. As localidades onde as ações são executadas são definidas de acordo com apontamento do Levantamento Rápido do Aedes, o LIRAa, relatório elaborado pela secretaria Municipal de Saúde – SEMSA a cada 15 dias.

Seis de Agosto e conjuntos Universitário I, II e III seguem como prioritários sob a ótica da Saúde porque apresentam potencial risco de infestação do mosquito – como também o bairro da Conquista, onde, segundo o levantamento da SEMSA, subiu 2 para 6 o índice de focos do mosquito. No dia 2 janeiro, data de lançamento oficial da Ação de Inverno 2017, o prefeito Marcus Alexandre pediu o apoio da população para que evitem colocar entulho para fora dos quintais. Ele lembrou que a Prefeitura atuará fortemente para reduzir os casos das três doenças transmitidas pelo Aedes. Marcus Alexandre fez um retrospecto mostrando que foram registrados mais de 30 mil casos de dengue no ano de 2010 e que seis anos depois, em 2016, foram pouco mais de 500. O Exército deve também participar das ações disponibilizando cerca de cem homens para o trabalho de Combate aos focos nos quintais.

No bairro da Conquista os moradores são muito receptivos aos agentes da SEMSA. O supervisor da área, Antônio Ferreira, disse que apesar disso, a infestação é alta por conta principalmente das dúvidas que os moradores guardam quanto ao abastecimento de água. Eles preferem assegurar o abastecimento de suas residências utilizando reservatórios ao nível do solo, os mais propícios para a formação de criatórios do Aedes aegypti. “O que pedimos é que mantenham os reservatórios limpos e fechados”, disse Antônio Ferreira, que percorre a Conquista acompanhado da Agente de Endemias Aurinete Evangelista.

A moradora Maria Ocenilda, da Rua Niterói, chegou a agradecer pela presença dos agentes da SEMSA. “Eu troco a água dos cachorros frequentemente e mantenho tudo limpo e fechado. Os vizinhos deveriam fazer o mesmo”, disse Ocenilda, que mantém cinco cães como guardiães da residência.

O roçador de quintais Francisco Viana da Silva seguia em sua bicicleta com seu filhinho quando decidiu abordar uma equipe da SEMSA para falar do matagal em um esgoto próximo. Dos agentes recebeu a explicação de que a equipe de limpeza passará em breve pelo local. Viana disse que cuida do seu quintal fazendo roçagem e limpeza regulares, mas que se preocupa com a situação de áreas próximas. “Eu trato de fazer o que posso”, disse ele.

Publicidade

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.